Durante a derrota do Botafogo para o Deportivo Quito, foram notadas duas torcidas alvinegras nas arquibancadas do Estádio Olímpico Atahualpa. Uma era original e a outra composta por equatorianos que foram ao jogo com ingressos comprados pela Telexfree, uma das patrocinadoras do clube, que ainda cedeu uniformes com a sua marca estampada. Com a derrota por 1 a 0, cabe ao time comandado técnico Eduardo Hungaro vencer por dois gols de diferença no Maracanã, que, espera-se, esteja lotado somente por botafoguenses autênticos.

— O que temos a dizer aos nossos torcedores é que compareçam ao jogo. Já foram vendidos cerca de 15 mil ingressos. Então não temos muito o que falar. Agora é jogar — disse o volante Rodrigo Souto, que teve atuação apagada em Quito.

Sobre o “reforço” equatoriano na torcida alvinegra, Sérgio Landau, diretor executivo do clube, admitiu que o Glorioso estava ciente da ação da parceira. Além disso, o dirigente frisou que este episódio reforça o objetivo da empresa de expandir sua marca no mercado latino-americano.

— Eles têm clientes por lá (Equador). Provavelmente compraram um lote de ingressos. Não sei ao certo, mas acho que foi cerca de 1.000. Deram provas de que estão realmente interessados no mercado brasileiro e no latino, de uma forma geral. Foi como uma ação de marketing. Eles querem promover a marca deles por aqui, contrariando as críticas que duvidavam disso quando foi assinada a parceria. O Botafogo soube, mas não interferiu. Nós vimos com bons olhos — garantiu Landau.

Já na expectativa da partida de volta, marcada para a próxima quarta-feira, às 22h, o elenco desembarcou na noite da última quinta, após 14 horas e meia de viagem. O desembarque atrasou devido a problemas com a documentação de alguns passageiros na parada em São Paulo. Exausto, mas confiante, o zagueiro Bolívar assegurou que é possível reverter a desvantagem de um gol.

— Temos confiança, pelo que apresentamos e vimos do Quito. Demos boeira lá, mas podemos reverter — disse.

Fonte: Extra Online