Clube carioca que mais se movimentou no mercado até o momento, o Botafogo apresentou mais dois reforços, na manhã desta quinta-feira. O zagueiro Ruan Renato e o lateral-esquerdo Guilherme Santos vestiram pela primeira vez a camisa alvinegra, no Estádio Nilton Santos. Depois de um primeiro dia de exames médicos e físicos, os dois treinaram a com o restante do elenco e concederam entrevista coletiva, após as atividades. O discurso de ambos foi em tom otimista e recheado de promessas de fazer história pelo Glorioso.

– O Botafogo é um time gigante do futebol brasileiro. Espero que esse ano a gente possa reacender o calor com a torcida e colocar o clube onde merece estar – disse Ruan Renato, antes do colega de elenco completar:

– O Botafogo é um clube muito respeitado, independente do momento que viva. Hoje, temos a chance de fazer uma história aqui dentro. Aqui enxergo uma oportunidade de dar uma boa sequência na minha carreira. Dei a volta por cima e quero fazer história aqui – projetou Guilherme Santos.

Canhoto e atuando de preferência pela esquerda, o zagueiro chega com a difícil tarefa de ocupar a lacuna deixada por Gabriel, jogador que se destacou na temporada passada, se tornou ídolo e teve a volta de empréstimo antecipada pelo Atlético-MG. Questionado sobre o tema, Ruan Renato não se mostrou preocupado e destacou o fato de outros zagueiros já terem se destacado pelo clube recentemente.

– Já tinha um objetivo aqui no Botafogo independentemente do Gabriel permanecer ou não. Estou muito feliz de voltar a jogar na Série A. É bom saber que outros zagueiros se destacaram aqui no clube, serve como motivação. O mais importante é fazer a minha história aqui dentro. Espero honrar essa camisa com muita entrega e dedicação – prometeu o atleta de 25 anos.

Aos 31 anos, Guilherme Santos é o mais velho dos sete reforços trazidos pelo Glorioso. Ele chega para disputar vaga com Lucas Barros. Para 2020, o clube não quis continuar com Gilson e Yuri, os dois atletas que mais atuaram na posição no ano passado. Guilherme contou como pretende usar da experiência para ser destaque.

– Meu estilo de jogo mudou ao longo dos anos. Comecei mais ofensivo, no início da carreira e, quando joguei na Espanha, aprendi mais da parte defensiva. Hoje ,estudo bem o jogo e vejo a melhor forma de atuar. Me sinto muito preparado como nunca antes em minha carreira – afirmou o lateral-esquerdo, que em 2020 atuou pelo Paraná.

Fonte: Terra