O Botafogo pagou 50% do salário de agosto, não conseguiu colocar em dia o salário de setembro e tem o vencimento do terceiro mês na quinta-feira, data do clássico contra o Flamengo. Na semana passada, até o diretor-executivo Ânderson Barros, que não tem essa função, trabalhou arduamente para encontrar fontes e quitar os débitos com os jogadores. O Botafogo pensou em dar como garantia a premiação do Campeonato Brasileiro.

Não conseguiu na semana passada. Nesta, há uma nova tentativa. os cardeais do clube, como Carlos Augusto Montenegro, também tentam, até agora sem sucesso.

No ano passado, o Botafogo quitou seus débitos no dia 28 de outubro, um dia depois de perder por 2 x 1 para o Athletico Paranaense, depois da 31a rodada e apenas um ponto acima da Chapecoense, que abria a zona de rebaixamento, 15o lugar. Dali para a frente, não perdeu mais e terminou o campeonato em nono lugar.

A expectativa é a mesma neste ano. Recuperar-se, mas pagar o salário significa resolver questões logísticas e dar tranquilidade para os jogadores trabalharem. Não se tratar de jogar bem se receber salário e perder se não receber. Trata-se de ter paz para trabalhar.

O Botafogo luta para quitar uma parte dos salários atrasados até quinta-feira, dia do clássico contra o Flamengo. No ano passado, depois de colocar os vencimentos em dia, o Botafogo venceu o Corinthians por 1 x 0 e, na rodada 33, ganhou do Flamengo por 2 x 1. Neste ano, houve dois clássicos, com duas vitórias rubro-negras, por 2 x 1, no Nílton Santos, e 3 x 2, no Maracanã.

Fonte: Blog do PVC - UOL