Blog propõe corrente da torcida: ‘Hora de abraçar e ir’

Compartilhe:

Estreei em estádio vendo um goleiro de “nome engraçado” pegar uns pênaltis, e fui batizado como botafoguense (embora já fosse) sendo campeão da Conmebol de 1993. Eu só tinha 5 anos.

E assim foi indo. A maior lembrança da minha infância são as tardes no Caio Martins, embora também rolasse sempre um Maracanã, e até Moça Bonita, Bariri e Conselheiro Galvão. Com 7 anos eu era campeão brasileiro, vibrei com um campeonato municipal no ano seguinte (por que não vale como Carioca se o Flamengo já foi bi-carioca em um único ano?), um estadual aos 9, um Rio-SP aos 10 e uma quase Copa do Brasil aos 11. Sempre indo ao estádio.

Mas conforme ia crescendo como pessoa e botafoguense (características que hoje já se confundem), ia descobrindo que meu pai, os amigos dele, e tantos outros sofreram. Por 21 longos anos.

Só que não sofreram calados. Sofreram gritando, comparecendo, apoiando e dividindo Maracanãs, época que uma tal faixa escrita “Campeão ou não és eterna paixão” ficou famosa: símbolo de resistência, perseverança e do amor eterno. De perto.

Onde foi que nos perdemos, o Botafogo e a torcida?

Não dá para exigir fanatismo de todos, pois cada um reage de um jeito. A geração atual também sofreu, e qualquer botafoguense consegue enumerar pelos menos 10 grandes baques de 2002 para cá. Mas muito me incomoda essa “fama” que ganhamos, nos últimos 5 anos, de ser uma torcida que não comparece no estádio.

Fama nem sempre justificada, diga-se de passagem. O Engenhão, criticado por não ter acesso bom, por não ter ônibus na porta (ou por ser longe da Zona Sul!), era lugar onde a torcida do Botafogo, mal ou bem, chamava de casa. Quando botamos 69% do público contra o Fluminense em 2011 (dia 27/08/2011 – eu tenho registrado), ou quando fomos 62% dos pagantes contra o mesmo Fluminense no 1º jogo da final do Carioca (sim, de 2011 para cá, fomos maioria em 7 dos 9 confrontos contra o Flu no Engenhão – eu tenho registrado [2]), ninguém falou nada. Gostam de falar só da nossa torcida, gostam de fazer chacota, mas já fomos maioria no Engenhão também contra Vasco e Flamengo (que tem 5474#92&0$09 trilhões de torcedores).

Não espere complacência de rivais. Não vão ser eles que vão limpar a nossa barra: teremos que encher muito estádio até que resolvam pegar no nosso pé de outra forma. E vão pegar, é futebol.

Também não espere que eles acreditem no Botafogo. Se não formos nós a acreditar e embalar o Botafogo, quem vai fazer isso?

Não, meu amigo, não estou colocando “culpa na torcida”, estou propondo uma corrente, uma união. Um gol sofrido aos 49’ machuca qualquer um, mas um gol sofrido aos 49’ faz você pedir o boné? Ainda mais na 9ª rodada do Brasileiro. E li muito comentário revoltado aqui no blog, com raiva do Botafogo, com raiva do comprometimento do time, com raiva até de mim (ou do meu suposto otimismo).

Raiva do time? Com salários atrasados, o time está no páreo, a um ponto da liderança, sem tirar pé em dividida. Esse grupo é bom e é honrado, e merece crédito.

Estou com eles…

É hora de abraçar e de comparecer. Apesar de todo o sinistro processo de licitação que me embrulhou até o estômago, o Maracanã voltou, está bonito (embora com acústica piorada), e quinta-feira tem Botafogo no Rio.

Pelo blog e pelas redes sociais, vejo gente que virá de São Paulo, Brasília, Goiás e Macaé… Será que nossa torcida merece essa fama que tem? Já fomos incríveis, uma das melhores torcidas do Brasil (se não a melhor): precisamos voltar a acreditar na força e no potencial que temos. Apesar da oscilante presença em estádios, poucas torcidas são tão ativas e apaixonadas pelo time como a nossa, mesmo de longe.

Nós somos o Botafogo, e precisamos voltar a ter prazer em “ser” o Botafogo de perto. Sou suspeito para falar, por ser fanático por arquibancada e por ter feito e cultivado as amizades de estádio, mas vai ser gostoso falar para um futuro filho, que antes dele nascer e virar botafoguense (e isso começar a se confundir com a pessoa dele), “eu estava lá, nunca desisti, sempre estive perto e vibrei lá da arquibancada quando as coisas começaram a mudar”.

Cada um torce de um jeito e tem a sua hora, mas acho que é hora de abraçar e de chegar mais perto.

Vamos ao Maracanã na quinta-feira? 19:30, contra o Vitória, em busca da liderança nacional. Eu acredito no Botafogo e na nossa torcida. Porque, afinal de conta, nós somos o Botafogo…

Sócio-Torcedor

Repare que a mensalidade do plano Acima de Tudo (R$ 60) já equivale ao preço de inteira do ingresso mais barato para quinta. Essa é a modalidade do meu plano e tenho entrada liberada para a quinta-feira… Fica a dica.

O programa vem em ascensão, e já registra significativo crescimento de 16% no número de associados nos últimos 2 meses (de 28/05 para 28/07). Entreguei ontem ao Botafogo o relatório feito com a pesquisa que lancei aqui no blog. Uma apresentação de 108 slides, com um panorama de todos os problemas atuais, os pontos positivos, oportunidades identificadas, sugestões e conclusões. Acho que o clube vai saber aproveitar bem o material e melhorar a parte operacional do programa, e realmente acho que o nível de serviço vai ser elevado muito em breve. Vamos dar uma chance ao Sou Botafogo? Associe-se!

Trarei os resultados da pesquisa para o blog em breve, mas antes preciso adaptar o formato.

Fonte: Blog Bate-Bola Alvinegro - Globoesporte.com

Comentários