A novela que movimentou os corredores da Toca da Raposa II nas últimas semanas está próxima de seu capítulo final. Depois de se acertar com o estafe do atacante Sassá e chegar num acordo com o Botafogo, o Cruzeiro só aguardava o desfecho da negociação entre a equipe carioca e Marcos Vinícius, o que aconteceu na manhã desta sexta-feira. Se aprovado nos exames médicos, o meia-atacante será cedido em definitivo ao clube alvinegro e assinará contrato por três temporadas.

As tratativas entre Botafogo e Marcos Vinícius ganharam corpo nessa quinta-feira. Como a transação é em definitivo, detalhes burocráticos foram tratados com atenção por Guilherme Cavalcanti, agente do meia-atacante. Conforme apurou o Superesportes, o contrato acertado prevê remuneração próxima do dobro do que o jogador recebe na Toca da Raposa II. O aumento será gradual ao longo do vínculo de três temporadas.

A expectativa é de que os clubes só anunciem a troca quando Marcos Vinícius for aprovado nos exames médicos. Como o Botafogo está na Argentina, onde foi derrotado pelo Estudiantes, nessa quinta-feira, pela Copa Libertadores, os testes físicos sofreram algum atraso. O meia-atacante, de 22 anos, se recupera de lesão na coxa esquerda desde o dia 8 de maio.

Contratado pelo Cruzeiro ao Náutico no fim de 2014, como grande revelação do Nordeste ainda para as categorias de base, Marcos Vinícius tem 40 partidas com a camisa do time profissional. Em 2015, foram 24 jogos, 13 como titular, e quatro gols marcados. O meia ainda deu três assistências. Já em 2016, Marcos Vinícius participou de 14 compromissos da Raposa, sendo apenas cinco deles atuando desde o início. Ele não marcou nenhum tento, mas serviu os companheiros em duas oportunidades. Em função das lesões, o jogador só teve duas oportunidades de jogar nesta temporada.

Sassá

Assim que Marcos Vinícius tiver caminho livre para posar com a camisa do Botafogo, o Cruzeiro anunciará o acordo com o atacante Sassá. Sonho antigo da diretoria celeste, ele chegará à Toca II para reforçar ainda mais o setor ofensivo do elenco de Mano Menezes, que já conta com Arrascaeta, Thiago Neves, Rafinha, Elber, Alex, Raniel, Rafael Sobis, Ramón Ábila, Rafael Marques e Alisson, além de Judivan, que se recupera de lesão.

Promovido ao time profissional Botafogo em 2012, Sassá disputou apenas três jogos naquela temporada, mas já deixou um gol. No ano seguinte, com poucas oportunidades, voltou a marcar apenas uma vez em 11 compromissos com a camisa alvinegra. Diante das chances escassas no Rio de Janeiro – foram seis jogos em 2014 –, Sassá foi emprestado ao Oeste, para disputa do Paulista, mas pouco fez: apenas três jogos e nenhum gol.

A vida do jovem atacante começou a ganhar novos contornos quando ganhou espaço no Náutico, ainda em 2014, também emprestado pelo Botafogo. Em um semestre no Nordeste, Sassá disputou 22 partidas e marcou nove gols e protagonizou duelos emblemáticos para sua carreira, como quando marcou os dois gols da vitória sobre o Ceará, em setembro de 2014, pela Série B do Campeonato Brasileiro.

De volta ao Botafogo, Sassá deixou de ser coadjuvante. Já em 2015, disputou 42 confrontos e deixou sua marca em 11 ocasiões. No ano seguinte, 31 jogos e 14 gols – a melhor média da carreira. Já nesta temporada, o jogador acumulou escândalos de comportamento e foi afastado em duas ocasiões pelo alvinegro. Em 2017, são 16 duelos e seis gols marcados.

Fonte: Superesportes