Para desmontar e montar novamente as arquibancadas da Arena da Ilha, o Flamengo precisaria de três meses e meio, segundo a empresa “Mills”. O clube, porém, já procurou o Botafogo visando manter a estrutura e foi recebido. O vice-presidente social e de comunicação do Alvinegro, Marcio Padilha, revelou que a negociação se iniciou, mas não é fácil.

– Não é bem simples assim porque parte dos investimentos que foram feitos serão desfeitos. Para eles continuarem, o Flamengo tem que negociar com a gente. Já abriu-se uma negociação, a gente recebeu hoje um representante do Flamengo, mas ainda está muito embrionária. Para que não tenham prejuízo em montar um estádio de novo, eles têm que conversar com o Botafogo – afirmou Marcio Padilha, ao site “Globoesporte.com”.

O Botafogo investiu cerca de R$ 5 milhões na Arena, mas não considera que teve prejuízo.

– O investimento na Ilha foi temporário, nós tínhamos consciência disso. No nosso ponto de vista, foi altamente compensatório porque a classificação do clube mostra que antes do estádio estávamos na zona de rebaixamento, com uma dificuldade muito grande, e depois estamos aí disputando até quem sabe uma vaga para a Libertadores. Então temos total consciência de que o investimento era necessário e feito de acordo com as nossas necessidades – comentou Padilha.

O dirigente minimizou a rivalidade e a rixa recente entre Botafogo e Flamengo.

– Esse conflito é muito midiático. Na verdade não pode haver inimizade em termos de direção. A torcida gosta, o nosso presidente tem umas tiradas, ele é meio gaiato, o Bandeira dá umas respostas e tal. Mas o clima é cortês. A gente recebeu um dirigente do Flamengo no Botafogo para tratar da Ilha. Nós somos torcedores comandando um clube de futebol, não somos dirigentes profissionais. Então de vez em quando a gente deixa a emoção aflorar um pouquinho – admitiu.

Fonte: Globoesporte.com