Airton disputa jogada com rival do Galo: empate de dar sono (FOTO: Lancenet!)Airton disputa jogada com rival do Galo: empate de dar sono (FOTO: Lancenet!)

Botafogo e Atlético-MG empataram por 0 a 0 neste domingo, no estádio Mané Garrincha, em Brasília. A partida marcou a despedida das equipes do Campeonato Brasileiro. O time carioca, inclusive, fecha a temporada de forma melancólica. Isso porque o Alvinegro de General Severiano não faz um gol desde o dia 2 de novembro, quando perdeu para o Cruzeiro, além de sete partidas sem vencer – com seis derrotas.

Com o resultado, o Botafogo termina o Brasileiro na 19ª colocação e disputará a segunda divisão do Campeonato Brasileiro em 2015. O Atlético-MG, por sua vez, já tinha vaga na Libertadores garantida após a conquista da Copa do Brasil.

Fases do jogo:  Sem maiores objetivos neste Campeonato Brasileiro, Botafogo e Atlético-MG aproveitaram a última partida da competição para fazer algumas observações. Entretanto, a oportunidade não parecia tão importante para os atletas, pelo menos no primeiro tempo, quando as equipes demonstravam lentidão e pouca ambição ofensiva.

O Atlético-MG até ficava mais com a bola, mas tinha dificuldade em superar o questionável sistema defensivo do Botafogo, que, por sua vez, sequer teve a oportunidade de conhecer o goleiro reserva do adversário, Uilson. O melhor lance da etapa inicial saiu dos pés do único jogador titular dos mineiros. Carlos recebeu dentro da área, fintou Fabiano e chutou forte para fora. E foi só.

“A gente sabe que é difícil, a gente está tentando acabar com hombridade, como homens. Não estamos criando, isso é fato, mas vamos voltar para o segundo tempo para não perder hoje. Se possível, criar algumas chances e sair com a vitória”, desabafou Gabriel ainda no intervalo.

O segundo tempo se iniciou até com um pouco mais de emoção. Principalmente porque Dodô finalmente entrou no jogo, após 45min apagado. O apoiador abusou da habilidade e por muito pouco não fez com que o Atlético-MG abrisse o placar.

Não foi só o Atlético-MG que melhorou. O Botafogo também parecia ter a confiança renovada e partiu para cima do adversário. Com Maykon lugar de Bruno Corrêa, os cariocas quase voltaram a marcar. O atacante ficaria livre com o goleiro Uilson, mas foi puxado por Jemerson. Na falta, Fabiano acertou a barreira. E foi o que melhor ocorreu.

O melhor: Dodô – apoiador foi um dos poucos que souberam aproveitar a oportunidade e mostrar serviço. De muito talento, o jovem infernizou a defesa do Botafogo

O pior: Dankler – partida deste sábado prova que o problema do zagueiro está longe de ser o nervosismo. Atrapalhado, o defensor foi o único a conseguir dar emoção a um jogo ‘amistoso’. Claro que não foi pelo lado positivo.

Chave do jogo: a falta de objetivos foi determinante para o resultado da partida. As equipes pareciam jogar apenas para cumprir tabela, sem querer mostrar serviço, com raras exceções. Após 90min, o placar não poderia ser diferente do que um 0 a 0 sem sal.

Para lembrar: Antes mesmo da partida começar, Botafogo e Atlético-MG já sabiam qual é o futuro de cada equipe em 2015. Enquanto o Carioca jogará a Série B, os mineiros já estavam garantidos na Libertadores com o título da Copa do Brasil.

Jefferson – Goleiro do Botafogo pediu dispensa da partida por conta de cansaço. O jogador tem contrato com o Alvinegro até fim de 2015, mas não tem permanência assegurada. O mês de dezembro será decisivo para a definição.

BOTAFOGO 0 X 0 ATLÉTICO-MG

Local: Estádio Mané Garricha, em Brasília (DF)
Data: 7 de dezembro de 2014, neste domingo
Horário: 17 horas (horário de Brasília)
Árbitro: Manoel Nunes Lopo Garrido (BA)
Assistentes: Lincoln Ribeiro Taques (MT) e Risley Pinheiro Martins (DF)
Cartões amarelo: Pedro Botelho e Eduardo (CAM) Fabiano (BOT)

BOTAFOGO
Helton Leite; Régis, Dankler, André Bahia e Fabiano (Andreazzi); Marcelo Mattos, Airton e Gabriel; Murilo (Gegê), Yuri Mamute e Bruno Corrêa (Maykon)
Técnico: Vagner Mancini

ATLÉTICO-MG
Uilson; Alex Silva, Tiago, Réver (Jemerson) e Pedro Botelho; Pierre, Josué, Eduardo e Dodô; Marion e Carlos
Técnico: Levir Culpi

Fonte: UOL