BOTAFOGO DECIDE NO SEGUNDO TEMPO E VOLTA À PONTA

Compartilhe:

Diante de uma forte retranca, o Botafogo precisou chacoalhar as coisas para tirar o Náutico do caminho e conseguir uma importante vitória por 2 a 0 neste sábado, em São Januário. Importante não só porque levou o time à liderança do Campeonato Brasileiro, mas também porque cria uma atmosfera positiva e inflama o torcedor para a volta ao Maracanã, no clássico contra o Flamengo, no próximo domingo, dia 28.

Depois de um primeiro tempo apático e enrolado do time, Elias, que acabara de entrar no intervalo, abriu o caminho para a vitória no início da etapa final. O jogador marcou seu primeiro gol com a camisa do Botafogo. O volante Renato, com pinta de centroavante, ampliou de peixinho dentro da pequena área.

– É difícil não se emocionar ao sair de campo e ouvir a torcida gritar o seu nome – afirmou Elias, contratado ao Resende. – Quando o Oswaldo precisar, vou estar disposto a ajudar. Muitos não acreditavam, e o grupo me recebeu de uma forma que é de se emocionar. Acho que não vou conseguir nem dormir.

O time de Oswaldo de Oliveira chegou aos 16 pontos e precisa torcer por tropeços de Coritiba e Vitória neste domingo para terminar a oitava rodada na ponta. Antes de pegar o Flamengo, no entanto, o Alvinegro enfrenta o Figueirense na quarta-feira, em Florianópolis, pela Copa do Brasil.

O Náutico, que só saiu para o ataque após levar o primeiro gol, conseguiu algumas boas jogadas no segundo tempo e exigiu cinco defesas difíceis de Jefferson. O time segue na lanterna do Brasileiro, com apenas quatro pontos em oito partidas. Na próxima rodada, enfrenta o Internacional na Arena Pernambuco, às 16h (de Brasília) de domingo.

rafael marques elias botafogo náutico são Januário Série A (Foto: Satiro Sodré / SSPress)Elias recebe o cumprimento de Rafael Marques, autor do passe para o gol (Foto: Satiro Sodré / SSPress)

Dificuldades para furar a retranca

Não dá para dizer que o Botafogo se surpreendeu com a postura do Náutico. A estratégia era conhecida, até porque tem marcado todas as atuações do time pernambucano no Brasileiro: fechadinho na defesa, com todos os jogadores atrás da linha do meio-campo, para tentar a sorte em algum contra-ataque. Não à toa está na laterna da competição. Ainda assim, os comandados de Oswaldo de Oliveira tiveram muitas dificuldades para furar o bloqueio.

Depois de um começo afobado, o Alvinegro passou rodar a bola, do lateral-direito Gilberto até Julio Cesar, pela esquerda, em busca de espaços. Seedorf tentava dar o toque de qualidade, Lodeiro se movimentava sem parar, Rafael Marques saía da área para buscar o jogo, mas o time carecia das armas mais importantes contra a retranca: velocidade e qualidade. Muito toque de lado, bolas alçadas na área ainda do bico da área e pouca objetividade. Tanto que mesmo com 68% de posse de bola no primeiro tempo, o Botafogo mal sujou o uniforme do goleiro Ricardo Berna.

Ricardo berna náutico botafogo cachorro são Januário Série A (Foto: Dhavid Normando / Futura Press)Vida de cão: Berna tenta, sem sucesso, tirar animal de campo (Foto: Dhavid Normando / Futura Press)

Elias entra e abre o placar

Diante de um obstáculo espinhoso, ter estrela pode ser a diferença para o sucesso. E a decisão de Oswaldo de Oliveira de lançar Elias após o intervalo, no lugar de Vitinho, deu resultado imediato. Rafael Marques, já vaiado pela torcida logo no início do segundo tempo, saiu mais uma vez da área, mas dessa vez conseguiu espaço, fez grande jogada e deixou Elias na cara do gol. O atacante tocou com categoria no canto: 1 a 0.

Logo após o gol, um cachorro invadiu o gramado, assim como a mascote Biriba fazia no campo de General Severiano no final da década de 1940, para comemorar os gols do time. Um sinal? Fato é que o Alvinegro passou a se sentir mais confiante, em casa, mesmo em São Januário. O Náutico saiu um pouco, forçou a defesa do Botafogo, mas também deixou espaços. Do outro lado, Dória foi à frente e acertou a trave.

Depois de rondar a área pernambucana inúmeras vezes, o Botafogo ampliou de uma forma pouco usual. Não pela jogada de Lodeiro, o incansável motor do meio-campo, mas pelo destino do seu cruzamento, que encontrou o volante Renato dentro da pequena área para completar de peixinho. Vitória assegurada e liderança na mão. Pelo menos até este domingo, quando a missão será secar os rivais.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO 2 X 0 NÁUTICO

Local: São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
Data/Hora: 20/07/2013 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Assistentes: Fabio Pereira (TO) e Marcia Bezerra Lopes Caetano (RO)
Renda: R$ 147.970,00 / 5.017 pagantes / 6.567 presentes
Cartões amarelos: Gilberto e Lodeiro (BOT); Maranhão (NAU)
Cartões vermelhos:
Gols: Elias 4’/2°T (1-0) e Renato 32’/2°T (2-0)

BOTAFOGO: Jefferson, Gilberto (Edilson 35’/2°T), Bolívar, Dória e Julio Cesar; Gabriel, Renato, Vitinho (Elias – Intervalo), Seedorf (Lucas Zen 40’/2°T) e Lodeiro; Rafael Marques – Técnico: Oswaldo de Oliveira.

NÁUTICO: Ricardo Berna, Auremir, Jean Rolt, William Alves e Eltinho; Elicarlos (Maranhão 26’/2°T), Derley, Rodrigo Souto (Hugo 28’/2°T) e Marcos Vinícius (Oliveira 17’/2°T); Rogério e Jones Carioca. Técnico: Zé Teodoro.

Fonte: Globoesporte.com (texto) e Lancenet! (ficha)

Comentários