Diante da boa chance de ter ao menos dois jogadores na Copa do Mundo, Jefferson, pelo Brasil, e Lodeiro, pela do Uruguai, o Botafogo está atento ao que poderá lucrar com o fato de cedê-los para a disputa da competição. O valor dependerá do tempo em que os atletas ficarem à disposição das equipes.

De acordo com o advogado Eduardo Carlezzo, que representa no Bota neste caso, se Brasil e Uruguai fossem finalistas, por exemplo, o valor pode chegar até a R$ 590 mil.
– A contribuição que cada clube terá direito considera o número de jogadores convocados e o número de dias em que eles estarão com a seleção, contando a partir de duas semanas antes do início da competição até um dia depois da eliminação. O valor será repassado ao clube em que o atleta esteve registrado no período de dois anos antes do dia da eliminação na Copa, o que possibilita, caso o jogador tenha passado por mais equipes, que cada uma receba proporcionalmente – disse Eduardo Carlezzo.

No sorteio dos grupos da Copa realizados na sexta-feira, o Brasil ficou no A ao lado de Croácia, México e Camarões, enquanto os uruguaios caíram no D, considerado o mais complicado, ao lado de Itália, Inglaterra e Costa Rica.

Na Copa do Mundo em 2010 foram distribuídos aos clubes U$ 40 milhões (cerca de R$ 93 milhões). Em 2014, a expectativa é de que sejam U$ 70 milhões (cerca de 163 milhões).

Fonte: Globoesporte.com