A novela Willian Arão está longe de um final. Segundo o site Globoesporte.com, o jogador devolveu os R$ 400 mil que o Botafogo havia depositado em sua conta bancária nesta sexta-feira, referentes à cláusula de renovação de seu contrato até 2017. A atitude, de acordo com o portal, deixa clara a intenção de Arão em deixar o Botafogo – o volante está apalavrado com o Flamengo e aguarda apenas as eleições presidenciais do clube, no dia 7.

Flávio Arão, pai e empresário do jogador, ficou irritado com o fato de o Botafogo ter feito o depósito justamente no dia em que viaja, de carro, de São Paulo para o Rio de Janeiro para se reunir com Cacá Azeredo, vice de futebol. Flávio disse estar “muito decepcionado” com o Alvinegro, que por sua vez afirma que a devolução não muda em nada a situação.

– Isso é inteiramente inválido. Temos como comprovar o depósito – afirmou o vice-presidente jurídico do Botafogo, Domingos Fleury, ao site.

– Estão valorizando demais. Daqui a pouco vão dizer que o Real Madrid está atrás do Arão – cutucou outro membro da diretoria, não identificado pela reportagem.

Com o depósito dos R$ 400 mil, além da renovação até 2017, o Botafogo adquire mais 20% dos direitos econômicos – totalizando 70% – e vê a multa rescisória passar para R$ 20 milhões. O Alvinegro aumentou a oferta salarial para Willian Arão para R$ 130 mil mensais, valores próximos ao que foi oferecido pelo Flamengo (R$ 150 mil).

Tanto Flávio Arão quanto o Flamengo questionam a legalidade da cláusula de renovação automática, justificando a nova regulamentação da Fifa de que o clube precisa ser dono dos 100% dos direitos econômicos do atleta. No entanto, o Botafogo diz que a regra, que entrou em vigor em maio, não vale de forma retroativa – o contrato inicial foi firmado em janeiro.

Fonte: Globoesporte.com