Se o primeiro tempo não tivesse sido tão ruim… Se Bolívar e Edilson não fossem expulsos… Se o árbitro fosse menos confuso… Este pensamento ficará na cabeça de todo botafoguense durante alguns dias, mas não adianta. Assim é a Copa Libertadores. Com todos estes ingredientes, o Botafogo perdeu por 2 a 1 para o Independiente del Valle, na noite desta quarta-feira, em Quito, pela terceira rodada do grupo 2. Nuñez e Sornoza marcaram para o time da casa e Bolívar descontou.

Apesar da derrota, o cenário ainda é favorável. O Alvi-Negro segue na liderança do grupo, com quatro nos três jogos disputados. Já o Independiente é o terceiro, também com quatro. As duas equipes voltam a se enfrentar na próxima terça-feira, às 22h, no Maracanã. O Glorioso joga os dois próximos jogos em casa.

BOTA MAL NO PRIMEIRO TEMPO

Terrível. Assim pode ser definida a atuação do Botafogo no primeiro tempo da partida em Quito. À exceção de Jefferson, que por ser goleiro ficou parado na área o tempo inteiro, todos os botafoguenses estavam completamente perdidos em campo. Tanto que logo no início o Independiente teve chance de abrir o placar, mas a cabeçada de Lamas parou no goleiro brasileiro.

Para não dizer que o Glorioso não levou nenhum perigo ao gol de Azcona, Jorge Wagner teve chance no início, mas desperdiçou. Foi o único ataque da equipe no primeiro tempo. Com a forte chuva e o gramado castigado, o jogo estava muito brigado. Os equatorianos tiveram chance de abrir o placar aos 16, quando Sornoza fez o gol, mas a arbitragem anulou incorretamente.

Daí em diante, só deu Independiente. E depois de tanto pressionar, Nuñez aproveitou uma pane na defesa alvinegra e acertou um belo chute para abrir o marcador. Os equatorianos contaram com a ajuda de Dória e Julio Cesar, ambos perdidos na jogada. No fundo, acabou sendo bom. Afinal, se não fosse a pouca qualidade dos donos da casa, a vantagem poderia ser maior ainda no primeiro tempo.

EXPULSÕES PREJUDICAM

Na volta para a etapa final, o Botafogo pareceu outro time. Apesar de voltar com a mesma formação, a postura foi totalmente diferente. Mais bem postada em campo, a equipe iniciou uma pressão no adversário logo nos primeiros minutos e o resultado veio logo. Após escanteio cobrado na área, Dória desviou no primeiro pau e Bolívar completou para o gol. Tudo igual.

Mesmo com o empate, o Alvi-Negro seguiu bem na partida e, mesmo jogando fora de casa, atacava mais do que o adversário. O gol parecia ser uma questão de tempo, até que Bolívar fez falta sendo o último homem, recebeu o segundo cartão amarelo, e foi expulso. Os botafoguenses foram reclamar a Edilson deu uma leve cabeçada no árbitro e também foi expulso.

Diante deste cenário, restou aos brasileiros se recuarem e se defenderem completamente nos últimos 15 mintuos de jogo. Deu certo durante um bom tempo, mas aos 46 Sornoza acertou um belo chute de fora da área e colocou os equatorianos novamente em vantagem na partida. Uma punição para um Botafogo que foi mal na etapa inicial, cresceu depois, mas parou nas expulsões.

FICHA TÉCNICA

INDEPENDIENTE DEL VALLE 2×1 BOTAFOGO

Local: Estádio Rumiñahui, Sangolqui, no Equador
Data/horário: Quarta-feira, às 19h45 (horário de Brasília)
Renda/Público:
Árbitro:  Manuel Garay (PER)
Auxiliares: Raúl López (PER) e Jorge Hurtado (PER)
Cartões amarelos: Bolívar (Botafogo)
Cartões vermelhos: Bolívar, 28’/2ºT (Botafogo); Edilson, 28’/2ºT (Botafogo)

GOLS: Nuñez, 25’/1ºT (1-0); Bolívar, 14’/2ºT (1-1); Sornoza, 46’/2ºT (2-1)

INDEPENDIENTE DEL VALLE: Daniel Azcona, Cristina Núnez, Andrés Lamas, Fernando León (Gabriel Cortez, 32’/2ºT) e Mario Pineida; Henry León (Julio Angulo, 24’/2ºT), Mario Rizotto, Fernando Guerrero, González e Sornoza; Daniel Angulo. Técnico: Pablo Repetto.

BOTAFOGO: Jefferson, Edilson, Bolívar, Dória e Julio Cesar; Marcelo Mattos, Gabriel, Jorge Wagner e Lodeiro (Bolatti, 44’/2ºT); Wallyson (André Bahia, 34’/2ºT) e Ferreyra (Lucas, 35’/2ºT). Técnico: Eduardo Hungaro.

Fonte: Lancenet!