Atualmente sem patrocinador, o Botafogo tem uma tática para reverter essa situação. O clube usa duas parcerias de sucesso para mostrar ao mercado a oportunidade que está em jogo. Liquigás e Guaraviton já provaram da força do Alvinegro e tiveram crescimento após exposição nos uniformes da equipe. É justamente isso que a diretoria utiliza nas negociações com interessados em fechar nova parceria.

O Botafogo em conseguir fechar negócio por conta das parcerias de sucesso ocorridas recentemente. A Liquigás, por exemplo, entrou no clube em 2007, quando era pouco conhecida no mercado. Após expor a marca no uniforme, a empresa teve crescimento representativo.

Anos mais tarde o mesmo ocorreu com a Guaraviton, que entrou no Botafogo com patrocínio na manga e ampliou a exposição a cada ano até em 2014 pagar por exclusividade pelas propriedades do uniforme – pagou aproximadamente R$ 18 milhões pelo direito. Tudo isso porque o retorno obtido foi amplamente satisfatório.

“O Botafogo teve dois cases de sucesso recentemente. O primeiro foi a Liquigás, que Botafogo em  2007 com apenas 4% do mercado. A parceria acabou em 2011 e a empresa estava conhecida nacionalmente com 23%. A Guaraviton foi a mesma coisa. Quando entrou no clube era apenas guaraná de praia e hoje está investido pesado no futebol. Pelas palavras do próprio Neville, eles cresceram 20% em cada ano”, disse o vice de comunicação Márcio Padilha, ao UOL Esporte.

“Evidentemente que esses cases estão sendo usados nas negociações. Outra curiosidade é que somos uma grande oportunidade para uma empresa que pretenda crescer nas regiões Norte e Nordeste. Por conta da Série B, o Botafogo jogará bastante por lá e terá uma divulgação enorme. Na primeira divisão, é apenas o Sport. Além disso, dos dez primeiros jogos na competição, quatro serão transmitidos pela TV aberta e os outros seis pelo SporTV para todo Brasil”, completou o dirigente.

Apesar de ainda não ter nada fechado acordo, o Botafogo tem se virado como pode neste início de temporada. O clube aproveitou as exposições em TV aberta para lucrar com patrocínios pontuais. E daí poderá acontecer uma relação mais duradoura e consistente. Casa & Vídeo e Ricardo Elétro foram as que mais ficaram satisfeitas com a exposição. Mas não as únicas.

Duas concorrentes do Guaraviton, empresa que deixou o Botafogo nesta temporada por conta de exigências que não puderam ser cumpridas, também estão interessadas. Uma delas é pouco conhecida no Rio de Janeiro, o que pesa a favor do Alvinegro, que poderá alavancar a venda do produto no estado.

Fonte: UOL