Depois de o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, abandonar a reunião do Conselho Arbitral da Ferj (Federação de Futebol do Rio de Janeiro) alegando ter sido xingado pelo presidente da entidade Rubens Lopes, a polêmica causada pelo preço dos ingressos do Campeonato Carioca aumentou ainda mais nesta sexta-feira. A Federação, Botafogo, Vasco e os clubes pequenos rebateram, divulgaram uma nota conjunta e atacaram a dupla Fla-Flu, falando até em “alucinação moral”.

Na manhã desta sexta, Rubro-Negro e Tricolor soltaram um comunicado reiterando a contrariedade com a postura da Ferj em relação à redução dos valores dos ingressos e ameaçaram ir à Justiça, além de estudarem a criação de uma Liga dos Clubes Cariocas.

“A nefasta nota sinaliza fuga ao entendimento. Atribuir à Ferj a responsabilidade por impor preços é leviana. Não houve irregularidade e ilegalidade pois as resoluções obedeceram o regulamento”, diz a nota divulgada pela Ferj e demais clubes.

Na sequência, a entrevista coletiva na sede da Ferj, que não contou com a presença de Rubens Lopes, foi conduzida pelo presidente vascaíno Eurico Miranda. O dirigente deu a sua versão sobre o que aconteceu na discussão entre o flamenguista Bandeira de Mello e o chefe da Federação.

“Em função da nota, que foi considerada pelo presidente (Rubens Lopes) altamente ofensiva e mentirosa. O presidente do Flamengo confirmou todos esses tópicos que estavam na nota, e aí aconteceu a ofensa. O presidente estava falando sobre a nota publicada, as ofensas que estão na nota, repudiando uma a uma, só que o presidente do Flamengo confirmava que era aquilo mesmo, e quando o presidente dizia que estava se sentindo ofendido, como todos os outros estavam ofendidos, aí a coisa virou um bate-boca pessoal. Eu pessoalmente, e acho que falo por todos, acho que o que aconteceu foi fruto da confirmação de cada um dos tópicos da nota”, explicou Eurico.

O presidente do Madureira, Elias Duba, também falou sobre a situação e demonstrou a sua posição contrária a Flamengo e Fluminense: “Claro que havia discussão. O presidente mostrava o que era verdade e o que não era. E culminou com eles chamando todos os presidente ali presente de palhaços. Eu retruquei e ele foi embora”.

Fonte: ESPN.com.br