O Botafogo recebeu uma boa proposta financeira e tinha como objetivo vender o mando de campo do clássico com o Flamengo para Manaus. Já estava tudo acertado entre o Alvinegro e Ferj (Federação de Futebol do Rio de Janeiro). O Rubro-negro, no entanto, descartou a possibilidade e frustrou a negociação. Outra interessada, a Globo ainda não havia se pronunciado.

Pelo acordo, cada time receberia R$ 400 mil e teria todos os custos pagos por empresários dispostos a receber o primeiro clássico do futebol carioca. Em crise financeira, o Botafogo estava disposto a fechar o acordo. Com o veto do Flamengo, a partida poderá ocorrer no Maracanã, já que o Nilton Santos receberá um evento no mesmo dia.

A informação foi publicada inicialmente pela Coluna do Fla e globoesporte.com e o UOL Esporte avançou no assunto.

A recusa do Flamengo passa pelo motivo de o clube ter acabado de voltar de uma viagem de dez dias nos Estados Unidos, onde disputou e venceu a Flórida Cup. Uma nova saída do Rio de Janeiro, portanto, não era vista com bons olhos. Além disso, o Rubro-negro não via sentido em levar o primeiro clássico do ano para longe.

Nem mesmo a verba que seria paga mudou o pensamento do Flamengo. Em situação financeira tranquila, o dinheiro não seduziu a nova diretoria que preferiu cuidar do descanso dos seus atletas neste momento.

Diferentemente do Brasileiro, os jogos no Carioca são disputados com a carga de ingressos divididas igualmente. Desta forma, o Alvinegro não teria o controle das entradas e dificilmente não seria minoria no estádio. Neste cenário, a diretoria estuda até mesmo levar o jogo para o Maracanã.

Outra opção é tentar o adiamento da partida para o dia 27, um domingo, e dia que o estádio Nilton Santos estaria livre para receber o clássico. A medida, no entanto, depende do aval da Federação do Rio, da Globo e do próprio Flamengo. A decisão será tomada nos próximos dias.

Fonte: UOL