A nova diretoria do Botafogo está analisando todos os contratos dos funcionários do clube. E descobriu, segundo o site Globoesporte.com, que o então técnico e hoje auxiliar Eduardo Hungaro teria direito a um prêmio de R$ 200 mil caso o clube chegasse à fase de grupos da Copa Libertadores – o que aconteceu, com o Botafogo eliminando o Deportivo Quito na fase preliminar.

A premiação não foi paga, assim como alguns vencimentos de R$ 65 mil – novo salário de Hungaro quando foi promovido a técnico. Quando era auxiliar, ele recebia R$ 27 mil mensais, mas seu salário continuou sendo de R$ 65 mil após a Libertadores, quando ele voltou a ser auxiliar-técnico da comissão permanente do clube.

Fonte: Globoesporte.com