O técnico René Simões pode contar novidades no treino do Botafogo nesta quinta-feira. Se por um lado o lateral Carleto, se recuperando de lesão, deu voltas no campo pela primeira vez após cirurgia no joelho, o meia Daniel Carvalho sentiu dores e deixou o treinamento mais cedo. Diego Jardel entrou em seu lugar. O Glorioso se prepara para enfrentar o Boa Esporte, nesta sexta, às 21h50, no Engenhão.

“O Daniel preocupa. Ele não inicia o jogo. Ele é um jogador muito importante e está sentindo um incômodo. Ele está liberado, mas relatou um incômodo. Não sabemos ainda se no adutor ou no púbis. Ele estava um pouco preso no treino, vai ficar no banco e não começa a partida”, disse René Simões, em coletiva.

No treino focado em bolas aéreas e saídas no contra-ataque, René testou uma novidade na equipe. Daniel Carvalho, que deixou a atividade mais cedo, com dores na coxa, deu lugar a Diego Jardel, que deve ser titular contra a equipe mineira.

O time treinou com Renan, Gilberto, R. Fonseca, Roger, Luis Ricardo; Giaretta, Arão, Diego Jardel, Elvis; Pimpão e Bill.

Duas semanas após passar por artroscopia no joelho, Carleto treinou pela primeira vez com o elenco. Alegre e sorridente, como de costume, brincou com jogadores e jornalistas antes de fazer trabalho específico com o preparador Emílio Faro.

Mais uma vez, Marcelo Mattos não esteve entre os jogadores que participaram do treinamento. Após receber proposta de rescisão da diretoria, o volante deve deixar o clube. O motivo é o alto salário, que inclusive, está em atraso.

“O Marcelo Mattos vai sair do Botafogo. Já há alguns clubes interessados, que já entraram em contato. Um treinador me ligou e perguntou o que houve. Disse que o Mattos tem um comportamento exemplar e não houve nada além do aspecto financeiro. Isso não foi de uma hora para outra. Isso vem desde a montagem da equipe. Estabelecemos um teto salarial (cerca de R$ 60 mil) e estabelecemos que o Jefferson seria a única exceção. Os outros dependeriam da busca por um patrocinador máster. A diferença ficou muito assustadora. O clube foi suportando até onde deu, mas o presidente me ligou e disse que não dava mais. Embora a importância dele seja grande – óbvio que eu queria que ele ficasse -, entendo a postura do clube. Prefiro ter os salários de todos em dia. Estamos tentando encaixa-lo em algum lugar”, explicou.

Fonte: ESPN.com.br