Além da vitória de 2 a 0 sobre o Avaí, na última segunda-feira, a semana do Botafogo também teve um importante evento internamente. Após quitar a segunda metade e os direitos de imagem referentes ao mês de agosto junto a atletas e funcionários, a diretoria teve um alívio na questão financeira – vale ressaltar que um jogador com três meses de salários pode recorrer à Justiça para a rescisão de seu contrato, algo inviável com as contas de agosto pagas.

A cúpula alvinegra trabalha para que as folhas salariais de setembro e outubro, que ainda estão em aberto, sejam quitadas até a próxima semana. Vale ressaltar que os dirigentes do Botafogo não trabalham com datas e metas fixas com os jogadores desde o ano passado, mas, internamente, o objetivo é quitar dois meses de salários na mesma semana.

Na última semana, integrantes da diretoria tiveram uma conversa com Carlos Augusto Montenegro, ex-presidente do Botafogo, em busca de apoio financeiro. O papo foi considerado positivo pelas partes envolvidas, mas não é certo que, necessariamente, todas as folhas salariais em atraso terão ajuda do sócio benemérito.

O ambiente do Botafogo também está diferente. Após as saídas de Ricardo Wagner, ex-presidente do Conselho Fiscal, e Gustavo Noronha, ex-VP de futebol, Ricardo Rotenberg, que tinha a função de VP Comercial e Marketing, também acumulou as pastas de estar mais perto do elenco. O dirigente, inclusive, terá sua primeira conversa com os jogadores na nova função nesta quinta-feira, após o treinamento no campo anexo do Estádio Nilton Santos.

O objetivo da diretoria é se aproximar dos jogadores em um momento instável financeiramente. Em pauta, a ideia da cúpula alvinegra é entrar em dia com o elenco antes da partida contra o Corinthians, no dia 24 de novembro, no Nilton Santos, às 16h.

Fonte: Terra