A primeira lista de reforços que o treinador Tata Martino passou à direção do Barcelona tinha um companheiro de Messi na seleção argentina, o segundo maior artilheiro da história das Copas e um jogador do Botafogo. O clube não atendeu a nenhum dos pedidos.

O ESPN.com.br teve acesso à lista repassada pelo treinador ao então presidente do Barcelona, Sandro Rosell. O documento, datado do dia 10 de outubro, contém oito nomes de jogadores: quatro defensores, dois meio-campistas e dois atacantes.

Os defensores são os zagueiros Neven Subotic, do Borussia Dortmund, o argentino Santiago Vergini, então no Estudiantes – em janeiro, ele foi emprestado para o Sunderland – e o brasileiro Dória, jovem que defende o Botafogo e já foi convocado para a seleção brasileira. Outro pedido feito pelo treinador foi o lateral-esquerdo Filipe Luís, do Atlético de Madri.

Para o meio-campo, Martino fez duas indicações: o alemão Ilkay Gundogan, do Borussia Dortmund, e o turco Arda Turan, um dos destaques do Atlético de Madri que faz boa campanha na Liga Espanhola.

No ataque, mais dois nomes: Kun Aguero, artilheiro do Manchester City, e o alemão Miroslav Klose, veterano centroavante da Lazio.

A reportagem do ESPN.com.br pôde ver a lista que foi levada a Sandro Rosell, já com as anotações de um membro da diretoria do Barcelona. Assim, o documento continha observações feitas após contato com cada um dos clubes onde os jogadores estavam na época.

Os nomes de Filipe Luís e Arda Turan, por exemplo, estão riscados, com a frase “No es mou”, em catalão. Na tradução livre para o português, seria algo como “não irão se mexer”, indicando que os dois jogadores do Atlético de Madri não deixariam o clube em nenhuma hipótese.

À frente do nome de Filipe Luís, há outra observação. “Encontrar um outro lateral que possa jogar na posição de Jordi Alba e Adriano”. Adriano tem tido seu nome ligado a uma possível transferência para o Liverpool.

A observação feita sobre o zagueiro Dória leva em conta o preço a idade do jogador do Botafogo. “7 milhões de euros. 19 anos!”, lê-se nas notas manuscritas feitas pelo membro da diretoria.

Em alguns casos, as anotações deixam claro que o Barcelona chegou a ter uma proposta formulada para fazer aos clubes. Por Subotic, os catalães pagariam 17 milhões de euros (cerca de R$ 60 milhões), além de dois amistosos com a renda revertida para a equipe alemã; já Aguero custaria 28 milhões de euros (cerca de R$ 95 milhões), mais dois amistoso com o Manchester City e ainda um jogador da base do Barcelona, que seria repassado ao clube inglês.

Outras duas observações chamam a atenção. Sobre Gundogan, o dirigente escreve: “22 milhões! Fábregas e Roberto precisam de tempo de jogo”, dando a entender que a contratação de um jogador para a posição não seria prioridade. Sobre Klose: “2 milhões. Idade: é um jogador para curto prazo”. O alemão tem 35 anos.

No documento, Martino afirma que a ideia era contar com algum dos jogadores já no mercado de transferências de inverno, que fechou-se no fim de janeiro. Nenhum dos pedidos do técnico foi atendido. Na época do fechamento da janela, o clube vivia uma efervescência política com a renúncia de Sandro Rosell e acabou se mexendo pouco para buscar contratações.

Os pedidos de Martino vão ao encontro de algumas das principais necessidades do Barcelona atualmente: um camisa 9, dois zagueiros centrais e um jogador de meio-campo.

O goleiro, outra demanda do clube no momento, não foi citado nos pedidos porque o alemão Andre Ter Stegen, do Borussia Moenchengladbach já estaria acertado para chegar após o fim da temporada 2013-14.

Fonte: ESPN.com.br