O Botafogo recebe o Atlético Nacional nesta quinta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ), em choque válido pela penúltima rodada do grupo 1 da Copa Libertadores. O time carioca aparece na segunda posição com sete pontos, quatro a mais que os colombianos, e vai se garantir vaga matematicamente nas oitavas de final em caso de triunfo.

O empate também pode servir aos alvinegros, mas, para isso, o Estudiantes, outro com três pontos, não pode vencer mais cedo, às 19h30 (de Brasília), o Barcelona, líder e já classificado com dez pontos, no Estádio Monumental, em Guayaquil, no Equador.

Apesar de depender dos próprios resultados, o Botafogo não atravessa um grande momento. A equipe perdeu por 2 a 0 para o Barcelona na rodada passada, e no fim de semana, pelo mesmo marcador, foi superado pelo Grêmio na estreia de ambos no Campeonato Brasileiro. Os jogadores, porém, prometem uma nova postura.

“O torcedor pode esperar por um Botafogo completamente diferente no jogo desta quinta-feira, pois vamos a campo mais uma vez com o pensamento de que é uma decisão, porém, sabendo que não existe nenhum espaço para cometermos erros. O jogo contra o Barcelona deu tudo errado e acredito que não vamos jogar da mesma maneira. Vai ser muito complicado pela qualidade do Atlético Nacional, mas temos condições de ganhar”, disse o meia Camilo.

O técnico Jair Ventura lembrou que o Botafogo vai enfrentar um Atlético Nacional jogando de forma parecida com o time que conquistou o título na edição passada e que na última semana fez 4 a 1 na Chapecoense, erguendo a taça da Recopa Sul-Americana. Na visão dele, os colombianos evoluíram muito em relação ao clube que foi superado pelos botafoguenses por 2 a 0 no primeiro turno da Libertadores, em Medellín.

“O Atlético Nacional evoluiu muito e não lembra em nada o time que derrotamos no primeiro turno, com méritos. Portanto, sabemos que vamos ter um grau de dificuldade ainda maior nesta quinta-feira, mesmo sendo um jogo em nossa casa. Será uma partida muito equilibrada e decidida nos detalhes. Quem conseguir mostrar um nível menor de erros vai fatalmente deixar o gramado com os três pontos, o que para nós seria a classificação?, assegurou Jair Ventura.

Em termos de escalação, o Botafogo tem problemas. O zagueiro Emerson Silva e o meia Walter Montillo, ambos com dores musculares na coxa direita, ficam de fora, assim como o zagueiro Marcelo e o volante Aírton, suspensos por acúmulo de cartões amarelos. Desta maneira, o volante Fernandes deve atuar de forma improvisada na lateral, com Emerson Santos formando a dupla de zaga com o argentino Joel Carli. Rodrigo Lindoso deve herdar o posto de Aírton no meio. Roger deve seguir no ataque no lugar de Sassá, afastado por indisciplina.

Pelo lado do Atlético Nacional, o técnico Reinaldo Rueda espera um jogo de xadrez pelo aspecto tático, mas pediu ousadia a seus comandados para que eles consigam o resultado que interessa aos colombianos.

“Vai ser taticamente um jogo muito disputado, com variações ao longo do confronto pela qualidade das duas equipes. É fato que precisamos recuperar os pontos que perdemos nas primeiras rodadas e isso vai exigir ousadia da nossa parte. Sendo assim, vamos ter que arriscar, principalmente quando estiver um contra um e nas jogadas esticadas de contra-ataque. O Botafogo é muito forte, mas podemos ganhar”, afirmou Rueda.

Para este compromisso, o Nacional perdeu o volante Mateus Uribe, por conta de uma lesão muscular na coxa direita. O substituto tende a ser Aldo Leao Ramírez. O treinador, porém, só vai revelar a escalação minutos antes do confronto.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO X ATLÉTICO NACIONAL-COL

Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 18 de maio de 2018 (Quinta-feira)
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Victor Carrillo (Peru)
Assistentes: Coty Carrera (Peru) e Jorge Yupanqui (Peru)

BOTAFOGO: Gatito Fernández, Fernandes, Emerson Santos, Joel Carli e Víctor Luís; Bruno Silva, Rodrigo Lindoso, João Paulo e Camilo; Rodrigo Pimpão e Roger. Técnico: Jair Ventura

ATLÉTICO NACIONAL: Franco Armani, Daniel Bocanegra, Carlos Cuesta, Alexis Henríquez e Farid Díaz; Diego Arias, Aldo Leao Ramírez, Rodin Quiñones, Macnelly Torres e Andrés Ibargüen; Dayro Moreno. Técnico: Reinaldo Rueda

Fonte: ESPN.com.br