A preocupação de torcedores e dirigentes com o momento delicado que o Botafogo vive no Campeonato Brasileiro terá que ser suspensa nesta terça-feira. Nesta data, das 9h às 21h, sócios do clube terão a missão de eleger um novo presidente para o triênio 2015-2017. O resultado das eleições em General Severiano revelará o substituto do contestado Maurício Assumpção, que terá a missão de dar um novo rumo para o Alvinegro.

Mergulhado em dívidas, o Botafogo precisa recomeçar brigas na Justiça para encerrar penhoras que o asfixiam financeiramente – retornar ao Ato Trabalhista é uma das prioridades das chapas envolvidas no pleito. Retomar a administração do estádio Engenhão é outra necessidade urgente.

Quatro nomes estão envolvidos na eleição. São eles: Vinicius Assumpção, da Chapa Alvinegra, Thiago Cesario Alvim, da Chapa Azul, Carlos Eduardo Pereira, da Chapa Ouro, e Marcelo Guimarães, da Chapa Cinza.

O vencedor das eleições alvinegras terá desafios nos bastidores para recuperar a saúde financeira do clube. Este ponto é tratado como ponto de partida para que o futebol ganhe sobrevida. Em situação muito complicada no Brasileirão, o Alvinegro depende de um milagre para evitar que o novo presidente inicie mandato com a equipe na Série B.

1.785 sócios têm direito a voto naseleições do Botafogo, que são diretas. O vencedor assumirá o posto já no dia seguinte. A chapa vencedora terá o presidente, o vice e 140 nomes no Conselho Deliberativo. Se a chapa que ficar em segundo lugar tiver mais de 20% dos votos, indica 14 nomes ao Conselho. Se houver empate entre as duas chapas que ficaram em segundo lugar e com mais de 20% dos votos, cada uma indica sete nomes ao Conselho.

Durante o último mês, o UOL Esporte conversou com os candidatos alvinegros. Conheça os nomes e saiba quais são as propostas de cada um em caso de vitória no pleito:

 

NOVO PRESIDENTE TERÁ QUE REESTRUTURAR O CLUBE
  • Luiz Gabriel Ribeiro/UOL
    Thiago Alvim (“Por amor ao Botafogo”)

    Foi vice de comunicação do Botafogo em 2009, quando Maurício Assumpção assumiu o clube. Por este motivo é apontado como a chapa da situação, rótulo que ele faz questão de rechaçar. Apontado como favorito no pleito, ele é dono do bar “Carioca da Gema” e projeta pagar R$ 30 milhões em dívidas em 2015. Para o empresário, o Botafogo vive a pior fase da história e terá que ser modesto no próximo ano.Foto: Luiz Gabriel Ribeiro/UOL

  • Reprodução/Facebook
    Carlos Eduardo Pereira (“Mais Botafogo”)

    Consolidado na política do clube, Carlos Eduardo foi derrotado por Maurício Assumpção nas eleições de 2012. Desde então, faz a oposição mais ferrenha ao atual presidente. Figura carimbada nas reuniões do Conselho, ele se define como a única chapa que verdadeiramente se opõe aos que atualmente comandam o Alvinegro. Um dos pilares de sua gestão é a torcida, a quem promete ingressos populares.Foto: Reprodução/Facebook

  • Divulgação
    Marcelo Guimarães (“O grande salto”)

    Foi diretor de marketing do primeiro mandato de Maurício Assumpção, que o demitiu em 2012. Desde então, Guimarães conta com o apoio de sócios-torcedores e decidiu se candidatar. Entre suas propostas, promete sede social no Engenhão, que será customizado com cores do Botafogo. O estádio é o carro-chefe do seu projeto e conta com a experiência de já ter trabalhado com o local na passagem pelo clube.Foto: Divulgação

  • Divulgação/MCR
    Vinícius Assumpção (“Vinicius Presidente”)

    Líder da 1ª chapa a confirmar presença nas eleições e muito crítico do atual presidente, Vinícius Assumpção promete austeridade financeira e transparência das contas. A torcida é o grande pilar de sua campanha, que promete sócio-torcedor com direito a voto, intenção essa registrada em cartório. Para ele, o futuro de um clube como o Botafogo não pode ser decidido por aproximadamente 2 mil pessoas.Foto: Divulgação/MCR

 

Fonte: UOL