Não foi na base da técnica, mas da vontade que o Botafogo começou com o pé direito a sua tentativa de ressurreição em 2015. Ainda desentrosado, o time do técnico René Simões superou um primeiro tempo fraco, cresceu na etapa final e contou com um gol solitário, já aos 37 minutos da etapa final, para vencer o Boavista por 1 a 0, na abertura do Campeonato Carioca. O zagueiro estreante Roger Carvalho foi o artilheiro da tarde chuvosa em São Januário, que serviu de palco alternativo a um Engenhão ainda interditado.

Em meio à “guerra” fora de campo travada por conta do preço dos ingressos, os valores mais acessíveis mostraram-se uma tática de algum sucesso, com um público razoável que incentivou o Alvinegro durante toda a partida no estádio do rival Vasco. Os bilhetes custavam entre R$ 15 e R$ 25.

O Botafogo volta a campo às 19h30 (de Brasília) de quarta-feira, contra o Volta Redonda, no Raulino de Oliveira. Na quinta, às 17h, o Boavista recebe a Cabofriense em Bacaxá.

O jogo

Não é novidade que, no início da temporada, os clubes menores tendem a levar vantagem sobre os chamados gigantes na parte física e também no entrosamento, devido ao maior tempo de preparação para os Estaduais. Não obstante, o Botafogo apresentava sete jogadores recém-contratados entre os onze titulares, além do lateral Gilberto, que retornou de empréstimo este ano após passar 2014 no Internacional de Porto Alegre.

O resultado foi uma leve superioridade do Boavista durante boa parte do primeiro tempo. Mesmo sem criar oportunidade claras, a equipe da Região dos Lagos explorava bem a faixa esquerda do campo, com o lateral Jeff Silva e o meia Erick Flores.

No Botafogo, o maior problema estava na pouca participação dos meias Gegê e Diego Jardel, que deixava os atacantes Rodrigo Pimpão e Bill isolados na frente. Não à toa, o momento que mais animou a torcida não foi uma finalização, mas sim uma “caneta” de muita categoria do goleiro Jefferson sobre um adversário, nos arredores da própria grande área.

A única boa chance do Alvinegro na etapa inicial veio, talvez não coincidentemente, logo após o lance de efeito do camisa 1. Após cobrança de escanteio, a bola ficou viva na área e Roger Carvalho deixou com Diego Jardel, que chutou por cima do gol, com perigo. Mas foi só.

O segundo tempo trouxe um Botafogo muito mais efetivo. O que não mudou foi a faixa do campo onde concentravam-se as ações ofensivas. A diferença era que o Alvinegro tomava a iniciativa, com Gilberto “infernizando” Jeff Silva, e não o contrário.

Foi assim que saiu o lance mais espetacular da tarde. Gilberto passou bonito por Jeff Silva, invadiu a área e chutou forte, mas a bola explodiu na trave. Na sobra, Pimpão ajeitou e Bill teve o gol vazio à sua frente. O atacante apontou e… acertou a trave outra vez, para incredulidade da torcida botafoguense, que observou a zaga do Boavista, enfim, afastar o perigo.

O Botafogo seguiu superior após o lance, mas custava a criar boas chances conforme a chuva apertava em São Januário. O técnico René Simões colocou Jobson e Fernandes nos lugares de Rodrigo Pimpão e Gegê, respectivamente. Deu certo. O primeiro finalizou com perigo logo após entrar em campo, e foi assinalado em impedimento quando recebia bom passe minutos depois.

A luta do Botafogo ia passando a ser tanto contra o tempo quanto contra o adversário. Mas a redenção veio em tempo, e de maneira coerente para um time que ainda se acerta: a bola parada. Já aos 37 minutos, Carleto cobrou escanteio pela esquerda, Roger Carvalho subiu e cabeceou para o fundo das redes para abrir o placar.

Sassá, o terceiro substituto, ainda teve boa chance no fim para fechar uma tarde que mostrou bom olho do técnico René Simões para o seu banco de reservas. Ficou nisso: 1 a 0 Botafogo, que começa com vitória sua caminhada de 2015 rumo ao 21º título carioca e ao retorno à elite do futebol brasileiro.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO 1 x 0 BOAVISTA

Local: São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 31 de janeiro de 2015, sábado
Público: 4.512 pagantes
Árbitro: Philip Georg Bennett
Assistentes: Dibert Pedrosa Moisés e Carlos Henrique Alves Filho
Cartões amarelos: Thiago Carleto (Botafogo); Faísca e Thiaguinho (Boavista)
Gol: Roger Carvalho, aos 37 minutos do segundo tempo

BOTAFOGO: Jefferson; Gilberto, Roger Carvalho, Renan Fonseca e Thiago Carleto; Marcelo Mattos, Willian Arão, Diego Jardel (Sassá) e Gegê (Fernandes); Rodrigo Pimpão (Jobson) e Bill.
Técnico: René Simões

BOAVISTA: Dida; Yago, Bruno Costa, Edmário, e Jeff Silva (Cláudio Pagodinho); Faísca, Fábio Azevedo, Erick Flores e Francismar (Jefferson); Edu (Thiaguinho) e Anselmo.
Técnico: Antonio Carlos Roy.

Fonte: ESPN.com.br