Mal terminada a primeira semana de treinos e o atacante japonês Keisuke Honda, de 33 anos, já conquista admiração e respeito no Botafogo.

Não exatamente pelo que faz em campo.

Mas pelo comportamento, onde se destacam a educação e a disciplina.

Banner da loja do FogãoNET para faixa japonesa

Após os treinos, o atacante recolhe os copos jogados no chão e os coloca no lixo.

Não satisfeito, no vestiário, após o banho tomado, dobra o material utilizado e os entrega na rouparia.

A informação foi checada com mais de um habitante do vestiário alvinegro.

É cultural, todos sabem, mas faz com que os mais antigos se recordem do choque provocado por Clarence Seedorf, em 2012.

E sua chegada ao clube, aos 32 anos, o holandês não tardou para mostrar que os novos companheiros precisavam rever seus costumes.

Primeiro, se impacientou ao ver um auxiliar se desgastando para convencer o (então) jovem Vitinho a tomar um suplemento vitamínico após o treino.

“Se alguém aqui sonha em jogar no futebol europeu, precisa saber que os clubes não disponibilizam serviçais para nenhum atleta…”, advertiu.

Mais tarde, inconformado com uma derrota num clássico, não aceitou que os jogadores fossem embora depois do banho tomado.

“Sei que todos estão cansados, mas é importante que a gente converse sobre o que se passou em campo…”, disse aos companheiros.

Coincidência ou não, no ano seguinte o clube sagrou-se campeão e foi o melhor carioca no Campeonato Brasileiro.

Esperança que se renova com Honda…

Fonte: Blog do Gilmar Ferreira - Extra Online