Após colher os frutos com a boa escolha por Jair Ventura, o Botafogo decidiu repetir a dose e promover um treinador caseiro para assumir a equipe profissional. Felipe Conceição foi o eleito pela diretoria, convicta na aposta. O início de temporada, no entanto, tem sido turbulento, com eliminações na Copa do Brasil e Taça Guanabara.

A decepção não se restringe ao desempenho dentro das quatro linhas, até porque ele é decisivo para as finanças. Levando em consideração as eliminações na Copa do Brasil e Taça Guanabara, o Botafogo já acumula um prejuízo de R$ 7,8 milhões.

A queda vexatória na Copa do Brasil, de longe, é a mais dolorida. O Alvinegro tinha no planejamento chegar, no mínimo, até as oitavas de final da competição. Com a nova premiação, o Alvinegro teria a receber mais R$ 6,8 milhões – já recebeu R$ 1 milhão por ter disputado a primeira fase e ser eliminado pela Aparecidense-GO.

E foi justamente esse jogo que desencadeou uma verdadeira bola de neve. Em crise, o Botafogo encarou o Flamengo na semifinal da Taça Guanabara e foi presa fácil para o rival. O título do primeiro turno estava nos planos e renderia mais R$ 1 milhão ao clube de General Severiano.

A conta poderia ficar ainda maior, já que Felipe Conceição deixou o cargo de treinador. Apesar disso, ele seguirá no clube e não causará mais nenhum tipo de custo extra. Ao virar treinador dos profissionais, o Tigrão manteve o mesmo contrato de quando treinava o sub-17.

Somente agora, após a ‘demissão’, é que esse contrato será rescindido de forma amigável para assinar um novo documento. Felipe seguirá no Botafogo, mas ainda não se sabe onde será encaixado nesse primeiro momento. O Alvinegro ainda aposta no profissional e decidiu mantê-lo para ganhar mais experiência.

Fonte: UOL