Mesmo após a troca de presidentes, o Botafogo segue pagando o preço pelas atitudes dos ex-mandatário Maurício Assumpção. Principal jogador do clube, Jefferson, que tem contrato até o fim de 2015, pode deixar o Alvinegro na próxima temporada por causa de uma dívida de aproximadamente R$ 2 milhões, referente a salários atrasados dos últimos 12 meses.

Empresários do atleta se reuniram com a nova diretoria do Botafogo para resolver essa pendência e projetar o futuro. E as primeiras notícias não foram nada animadoras para o torcedor botafoguense. Sem dinheiro, o Alvinegro quer pagar apenas os próximos salários de Jefferson, que estão na casa dos R$ 400 mil.

O problema é que Jefferson não abrirá mão da quantia milionária que tem a receber pelos serviços prestados. Seus empresários propuseram um parcelamento das dívidas nos próximos 12 meses, o que deixariam os vencimentos do camisa 1 (com salário e dívida) na casa dos R$ 560 mil.

Entretanto, nem isso agradou a nova diretoria, que deseja arcar com apenas o salário, sem que a divida de R$ 2 milhões entre na negociação. Por conta dessa dívida, Jefferson tem o direito de acionar a Justiça e deixar o Botafogo, algo que ele recusa fazer. Outras rodadas de negociação vão acontecer até o fim de dezembro, quando o goleiro quer ter seu futuro definido.

Uma coisa é certa. Nesse momento, Botafogo e Jefferson não falam a mesma língua. O goleiro não entrará mais em campo com a camisa do clube se não houver um planejamento para que a dívida seja quitada. O Alvinegro, por sua vez, espera que o jogador abra mão neste momento da quantia para permanecer em General Severiano.

Se nada mudar até o fim do mês, Jefferson ficará em situação delicada e terá dois caminhos a seguir. O primeiro é acionar o clube na Justiça e deixar o Botafogo pela porta dos fundos. O segundo, até agora menos provável, é aceitar contra sua vontade ‘esquecer’ a dívida e permanecer no Alvinegro recebendo a quantia estabelecida em seu contrato. O tempo dirá.

Fonte: UOL