Jobson rescindiu seu contrato com o Al-Ittihad e, após imbróglio com o clube da Arábia Saudita, está na iminência de voltar ao Brasil. Já com o passaporte em mão, ele comprará uma passagem e deixará o país o mais rápido possível. E assim que pisar em solo carioca, o polêmico atacante passará a ser responsabilidade do Botafogo.

“Ele já esta com o passaporte em mãos e resolvendo questões de passagens. Pode ser nesta sexta ou sábado. Ele voltará para o Brasil o quanto antes. Ele agora volta a ser responsabilidade do Botafogo, mas quem pode falar agora é empresário do atleta e o próprio clube. Minha função era tirar ele de lá e agora cobrar a dívida na Fifa”, disse Marcos Motta, advogado que está ajudando o atleta a deixar a Arábia, ao UOL Esporte.

E o Botafogo sequer esperou o desembarque de Jobson para definir o futuro do jogador, vinculado ao clube até junho de 2015. Fora dos planos, o Alvinegro aguarda interessados para realizar novo empréstimo. Caso o atleta queira manter a forma nas dependências do time de General Severiano, a diretoria deverá colocá-lo no grupo de atletas encostados e que treinam em horário alternativo.

Segundo apuração do UOL Esporte, o Botafogo considera que já esgotou todas as possibilidades com Jobson e não fará uma nova tentativa, mesmo com a fase vivida pelo clube. O Alvinegro conta com interessados no futebol do atacante, que viveu bons momentos no AL-Ittihad antes de se envolver em problemas no clube árabe.

O clube acusa Jobson de ter recusado a fazer um exame de antidoping  e justifica o afastamento do time principal. O atacante, por sua vez, alega que isso jamais ocorreu e que toda a confusão se deu por conta da mudança de presidente. O novo mandatário quis reduzir seu salário e a recusa não foi bem aceita.

Após rescindir seu contrato, Jobson precisava que o Al-Ittihad enviasse seus documentos para poder voltar ao Brasil. O clube se recusou a fazer isso e manteve Jobson na Arábia Saudita com salários atrasados e, consequentemente, sem dinheiro para pagar o hotel onde vivia. O caso ganhou notoriedade e os árabes recuaram e devolveram o passaporte ao jogador, que voltará ao país natal o mais rápido possível.

Com Jobson descartado, o Botafogo segue em busca de um atacante de velocidade. Esse é um dos pedidos do técnico Vagner Mancini, que quer também um meia-atacante e atletas que possa reforçar o elenco. O Alvinegro tem sofrido para encontrar um nome no mercado, mas promete contratar no recesso para a Copa do Mundo.

Fonte: UOL