O técnico do Botafogo, Vagner Mancini, não ficou em cima do muro e definiu o pênalti perdido por Jobson no início do segundo tempo como o momento chave da derrota da equipe para o Figueirense por 1 a 0 nesta quarta-feira, em São Januário. O treinador não tentou poupar o atacante.

Segundo o treinador, Murilo é quem deveria ter batido o pênalti, já que ele teve 100% de aproveitamento nos treinamentos da última terça-feira.

“Achei que ele (Jobson) foi irresponsável num momento que não deveria. Ninguém está jogando a culpa em cima de ninguém. Nós jogamos outras partidas, tivemos outros erros, eles erram, eu erro. Foi uma atitude irresponsável. Na hora do pênalti, o Murilo olhou para mim, e eu confirmei (que ele deveria cobrar). O aproveitamento dele no treino de ontem (terça-feira) foi de 100%. Eles dois conversaram e o Jobson pegou a bola. Ele bateu de forma irresponsável”, disse o treinador.

De cabeça quente, o treinador cogita até mesmo afastar Jobson do próximo jogo do Botafogo. Mancini disse que vai tomar essa decisão nesta quinta-feira, quando estiver mais calmo.

“Fiquei muito chateado com o que vi. Não sei se ele vai a Chapecó ou não. Isso vai ser bem analisado quando eu esfriar a cabeça. O que vi hoje me chateou bastante”, afirmou.

Falando do jogo, Mancini disse ter gostado da atitude do Botafogo em campo até o pênalti perdido. Após o lance, o Alvinegro foi dominado até sofrer o gol do Figueirense, quando foi na base do coração buscar uma reação. O treinador lamenta a falha do atacante, que, segundo ele, abalou a equipe emocionalmente.

“O Botafogo fez um bom primeiro tempo, voltou bem para o segundo. O lance capital foi o pênalti, que nos daria atitude diferente no jogo. Mas foi infelizmente desperdiçado e, na sequência, levamos o gol. Perdemos uma chance de ouro e depois sofremos o gol. Isso gera instabilidade emocional. Depois se recuperou, mas não conseguiu empatar”, concluiu o treinador.

Com a derrota para o Figueirense, o Botafogo permanece com 33 pontos na 18ª colocação. Faltando três rodadas para o fim do Brasileiro, o Alvinegro terá que tirar uma diferença que pode chegar até a sete pontos. O time de General Severiano volta a campo neste domingo, quando visitará o Chapecoense, em Santa Catarina.

Fonte: UOL