O Botafogo informou no início da noite desta segunda-feira que o vice-presidente de futebol, Antônio Carlos Mantuano, não integra mais o corpo diretivo do clube. O comunicado foi postado no site oficial do Alvinegro. A diretoria promete apresentar um novo nome em breve.

Mantuano foi peça fundamental na eleição do presidente Carlos Eduardo Pereira. O ex-vice de futebol não pertence ao Mais Botafogo, grupo político que comanda o clube atualmente, mas aderiu a chapa após negociação política. O dirigente ainda afirmou que se o mandatário mantiver esta forma de comandar o clube, será oposição nas próximas eleições.

— Gostaria de lembrar ao presidente Carlos Eduardo Pereira que fui eu e meu grupo político que ganhamos a eleição para ele. Caso continue dessa forma, seremos oposição até o fim do mandado — disparou.

A relação de Mantuano com a diretoria ficou desgastada nas últimas semanas, com o trâmite para a defesa do dirigente no caso da confusão com o técnico Argel Fucks, do Figueirense. Membros do alto escalação do clube não concordavam com o fato de o Botafogo pagar a defesa de Mantuano, enquanto o ex-vice queria que tudo fosse bancado.

— O fator principal pela minha saída foi o esquecimento da diretoria em me apoiar no caso da confusão com o Argel. Eles não se manifestaram nem para lançar uma nota oficial no site para questionar a versão que me fez ser suspenso. Fui ao STJD na semana passada, com a minha defesa, e fui suspenso por apenas 30 dias pois ficou provado que não houve agressão. Isso me deixou absurdamente irritado — desabafou.

Outro ponto que irritou Mantuano foi a dificuldade apresentada pelo clube em fechar patrocínios, limitando o orçamento do futebol. Durante toda a temporada, o teto salarial do Botafogo se mantém na casa dos R$ 60 mil.

Fonte: Extra Online