A pendenga envolvendo a polêmica transferência de Willian Arão do Botafogo para o Flamengo no início do ano ainda está longe de um acordo na Justiça e já corre à boca pequena pelos bastidores de General Severiano o “zun-zun-zun” de um novo quiprocó envolvendo alvinegros e rubro-negros.

Desta vez, o personagem em questão é o lateral-esquerdo Diogo Barbosa, de 24 anos, um dos destaques do time alvinegro na temporada. Contratado a um grupo de investidores do BMG no fim de 2015, depois de passagens regulares por clubes de Goiânia, Diogo acabou se acertando no Botafogo – foi eleito o melhor lateral-esquerdo do Estadual.

O problema é que o contrato vai só até dezembro. A diretoria alvinegra já encaminhou oferta para antecipar a renovação, mas até agora não teve resposta. Há quem diga que os representantes de Diogo já teriam assinado o termo de compromisso com o Flamengo, que pode negociar o titular Jorge para a Europa.

Rodrigo Caetano, executivo do futebol rubro-negro, nega e desconhece o suposto interesse neste jogador.

Diogo é natural de Terra Nova, no Mato Grosso, e chegou ao Rio em 2010, aos 18 anos, vindo do Vila Nova, para jogar nos juniores do Vasco.

Promovido por PC Gusmão, foi sacado do time justamente porque seus agentes não aceitaram as bases para um contrato mais longo.

E quem tratou do caso, na época, foi o próprio Caetano, que comandava o futebol vascaíno.

Sem o acordo, o jovem lateral deixou o Vasco em 2011.

Desde então, já teve passagens por Sport, Guarani, Coritiba e Atlético-GO, e Goiás.

Fonte: Blog do Gilmar Ferreira - Extra Online