Assim como ocorre com o Flamengo, a Odebrecht Propriedades também fica com um percentual da renda de bilheteria dos jogos do Botafogo para pagar um empréstimo. No total, ao final de 2013, o clube devia R$ 11,5 milhões para a empreiteira.

Tanto a Concessionária Maracanã (liderada pela Odebrecht) quanto o clube confirmaram que tem que ser descontado um percentual das receitas nos estádios em jogos alvinegros para quitar o débito. Nenhum deles quis dizer qual a fatia porque há uma previsão de sigilo de contrato.

“Não posso falar porque há confidencialidade. Participei da parte do contrato de uso do estádio, não do empréstimo”, afirmou o diretor-executivo do Botafogo, Sérgio Landau. “Estamos satisfeitos com a operação e a parceria com o Maracanã.”

O clube alvinegro tem um acordo com o Maracanã de utilização do estádio por 35 anos. Seu modelo é parecido com o do Flamengo. Ou seja, há uma divisão de todas as receitas e despesas com a concessionária.

O empréstimo feito pela Odebrecht ao Botafogo tem que ser pago até o final de 2014. Sua taxa de juros é de 165% do CDI, um percentual igual ao cobrado do Flamengo. Com o débito do alvinegro, já são três grandes clubes nacionais devedores da empresa – há também o Corinthians. Os clubes que usam o Maracanã ainda têm que pagar altas taxas de funcionamento do estádio.

No caso do Botafogo, a agremiação também está atolado em penhoras judiciais por dívidas fiscais que impedem o recebimento de outras receitas. O diretor executivo Sérgio Landau afirmou que, aos poucos, tenta um acordo com a Procuradoria Geral da Fazenda para liberar o dinheiro retido.

Fonte: Blog do Rodrigo Matos - UOL