O Botafogo segue disputando uma vaga na Libertadores da América de 2014. No domingo, o clube faz uma partida decisiva contra o Criciúma, no Maracanã, e precisará vencer e torcer contra Goiás e Atlético-PR para garantir sua vaga. Mas, até a semana passada, a diretoria trabalhava com otimismo. O orçamento de 2014 enviado para aprovação do Conselho Deliberativo conta com R$ 16,5 milhões da Libertadores. O orçamento consolidado aponta um superávit de R$ 3,7 milhões no exercício – considerando que, aplicados os valores das dívidas do clube, o Conselho Fiscal calcula déficit de R$ 69 milhões. Sem os R$ 16,5 milhões, até mesmo a previsão orçamentária, sem a inclusão das dívidas, já estará no vermelho.

O orçamento ainda pode ser reduzido – dado que foi entregue para atender a datas fixadas pelo estatuto do clube.  A previsão orçamentária para 2014 foi enviada pelo Conselho Diretor ao Conselho Fiscal há duas semanas. No dia 18, o CF a aprovou (com ressalvas de alguns conselheiros) e a enviou para a análise do Conselho Deliberativo. Esse exame vai ocorrer numa reunião marcada para 10 de dezembro.

Botafogo orçamento clube (Foto: Vicente Seda)
Botafogo prevê altas receitas com a Libertadores, especialmente no mês da final da competição em 2014 (Reprodução)

Chamam atenção, nos números aprovados pelo CF, vários sinais de otimismo. A vice-presidência de futebol separou as receitas para 2014 por campeonato. Na Libertadores, por exemplo, a previsão é contar não apenas com a vaga – mas, a julgar pelas previsões de entrada em caixa – também com a longevidade na competição.  A previsão de faturamento para a Libertadores é de R$ 16,5 milhões – sendo que mais da metade desse valor (R$ 8.217.500) está previsto para agosto. Em julho e agosto serão disputadas as fases finais da Libertadores em 2014 (depois da Copa do Mundo). E quase toda essa receita no mês de agosto está na rubrica premiações (R$ 7.850.000).

– A explicação que deram e convenceu aos membros do Conselho Fiscal é que, para poder fechar o orçamento e montar um time competitivo, eles (a vice-presidência de futebol) tinham essa perspectiva de arrecadação, que segundo eles é real, e se você observar, lá em receitas com vendas de ativos de atletas, estão R$ 10 milhões. É um valor que hoje a gente sabe que pode ser muito maior, mas foi feita uma previsão pessimista. No caso da Libertadores, fizeram a mais otimista possível para montar um time competitivo. A gente teve uma reunião com o Aníbal (Rouxinol, diretor jurídico) e o Sidnei Loureiro (gerente de futebol) , eles colocaram isso, o presidente Maurício (Assumpção) endossou, e a gente concordou – disse André Silva, presidente do Conselho Fiscal.

Para cumprir o estatuto do clube, o Conselho Diretor teve que fazer o orçamento antes de saber se o clube irá disputar a competição continental. Sem a Libertadores, os números certamente serão revistos  – e provavelmente o valor previsto para salários do futebol (algo em torno de R$ 6 milhões mensais) deve ser reduzido. Caso contrário – mantidos os salários – o clube não terá como fechar o ano no azul. O orçamento prevê R$ 3,7 milhões de resultado – contando com os valores da Libertadores.

– É um caso hipotético, é uma situação irreal, mas é uma situação possível. Então preferiram orçar dessa forma para montar um time que tenha capacidade de ser campeão da Libertadores. Caso não ocorra classificação, vou até bater na madeira, será feito um ajuste em janeiro. O Conselho Fiscal tem até meados de novembro para entregar o seu parecer para o Deliberativo. Nessa data você não sabe se está na Libertadores. Em orçamento, você pode ousar em determinados pontos, e ser mais conservador em outros. Eles foram conservadores na venda de direito de atletas, porque já existem negociações em andamento que dariam um valor superior ao que foi colocado, e foram bastante otimistas em relação à Libertadores. Tanto que nos chamou atenção, questionamos e nos colocaram dessa forma – completou André Silva.

O otimismo não aparece apenas nessa rubrica. Na previsão de arrecadação para o Campeonato Brasileiro, por exemplo – estimada em R$ 84.828.644, o clube prevê nada menos que R$ 9 milhões em premiações.  A receita prevista para o Campeonato Estadual é de R$ 21.852.974.  A arrecadação da Copa do Brasil só entra em setembro – pois parte do pressuposto, justamente, que o clube jogará a Libertadores. Com isso, o Botafogo prevê arrecadar R$ 9.801.144 na competição.

A previsão total de receita da vice-presidência de futebol é de R$ 149.910.874. Mas, para atingir esse resultado, o clube prevê – além das premiações – a venda de direitos de jogadores. No orçamento, há a previsão de arrecadar  R$ 10 milhões com direitos econômicos em agosto. A previsão de despesas do departamento chega a R$ 122,6 milhões para o futebol profissional e R$ 4,6 milhões no futebol de base.

O orçamento será discutido pelo Conselho Deliberativo na reunião de 10 de dezembro – quando o clube poderá ter sua vaga na Libertadores já assegurada (caso fique terceiro no Brasileiro). Caso fique na quarta posição – o clube terá que esperar o resultado do jogo entre Ponte Preta e Lanús pela final da Copa Sul-Americana. O segundo jogo da decisão está previsto para o dia 11 de dezembro. Caso fique na quinta posição do Brasileirão, o clube não conseguirá a vaga na competição continental. Nesse caso, de acordo com André Silva, será feito um ajuste no orçamento

Fonte: Globoesporte.com