Para comentarista, Seedorf não é mais o mesmo: ‘Se fosse, estaria no Milan’

Compartilhe:

O jornalista italiano Claudio Carsughi tem uma opinião bem definida sobre os veteranos e, se dependesse dele, a colocação dos mais experientes no mercado seria um tanto mais complicada. No “Arena SporTV”, o comentarista disse preferir sempre os jogadores mais novos e, após comparar Ronaldinho Gaúcho a elefantes, colocou Seedorf na “manada”.

Carsughi brincou e lembrou da maneira como os elefantes encaram o fim da vida para falar que vê a carreira de R10 perto do fim, apesar de o jogador, de 33 anos, ser um dos principais nomes do Atlético-MG, que conquistou a Libertadores e vai disputar o Mundial em dezembro – machucado, o camisa 10 ainda é dúvida.

Seedorf treino Botafogo (Foto: Ivo Gonzalez / Agencia O Globo)
Seedorf, aos 37 anos, é uma das estrelas do Botafogo (Foto: Ivo Gonzalez / Agencia O Globo)

Após dizer que o craque do Galo estaria fora da lista de reforços do clube do coração, a Fiorentina, o italiano disse o mesmo em relação a Seedorf e comentou que, se tivesse rendendo o máximo, dificilmente o holandês, estrela do Botafogo, estaria atuando no Brasil.

– Gosto de um time jovem, um time que saiba marcar sob pressão, que possa jogador duas vezes por semana. A Fiorentina disputa o Italiano, a Copa da Itália, e a Liga Europa. Seedorf de 10 anos atrás seria perfeito. Você não pode contar com ele sempre, é um jogador part-time (meio-período). Se pudesse contar com ele sempre, ele estaria no Milan – considerou.

A opinião, segundo o próprio comentarista, é fruto da leitura que faz do futebol e do que o esporte exige dos atletas.

– É um conceito de futebol. Acho que hoje, se você não tem basicamente um excelente estado atlético, você não vai a lugar nenhum. Um ou outro jogo você ganha, mas não tem regularidade – afirmou Carsughi.

Ronaldinho Gaucho Atlético-MG (Foto: Bruno Cantini)
Aos 33 anos, R10 foi um dos destaques do Galo na conquista da Libertadores (Foto: Bruno Cantini)

O comentarista Wagner Vilaron lembrou que as exigências do futebol europeu e afirmou que um jogador pode ser muito útil para um time brasileiro e não conseguir ter um bom rendimento fora do país. Para o jornalista, no Brasil, Seedorf tem espaço.

– Se “meu time” disputar o Campeonato Brasileiro, ele joga. Se disputar a Champions (Liga dos Campeões), não.

Para Vilaron, os clubes devem avaliar bem o custo-benefício dos jogadores mais velhos e lembrou da contribuição dos veteranos dentro e fora de campo, servindo de exemplo para os mais novos, citando o papel de R10 para Bernard no Galo.

Para o comentarista Edinho, Seedorf tem feito isso muito bem no Botafogo. O ex-jogador acredita que o holandês, mesmo aos 37 anos, conseguiu fazer a diferença.

– É muito importante ter uma referência, principalmente quando tem muitos garotos subindo da base, e o Seedorf é uma referência. Ele se encaixou no nosso futebol. Aqui (no Brasil), o futebol é mais lento, o que favoreceu ao estilo de jogo do Seedorf e de outros jogadores brasileiros, mais velhos, que retornaram. Lá fora o futebol é mais rápido, mais dinâmico, mais compacto e esses jogadores não se encaixam mais nesse perfil – disse.

Fonte: Sportv.com

Comentários