O uso de reservas em dez dos 13 jogos do clube no Campeonato Carioca definitivamente não funcionou para o Botafogo. O desempenho abaixo do esperado na competição foi responsável por tirar o Alvinegro do mata-mata após 10 anos. Desde 2004, o time de General Severiano disputava ao menos uma semifinal de turno do Estadual.

O fracasso custou caro ao Botafogo, que tem seus salários atrasados e vive momento conturbado nos bastidores. A classificação para as semifinais do Carioca daria ao Alvinegro R$ 200 mil, valor que poderia crescer e chegar a um total de R$ 1,2 mi caso o time chegasse à grande decisão. O título carioca levaria esse número a quase R$ 4 milhões.

O Botafogo investiu na montagem de um elenco maior para se dividir a temporada de 2014, mas disputou apenas a fase menos lucrativa do Campeonato Carioca. O Alvinegro, portanto, agora precisa justificar a expectativa com ao menos uma boa campanha na Libertadores, seu sonho antigo.

Nem mesmo o fato de deixar de ter menos compromissos para cumprir nos próximos meses alivia o Botafogo diante da desclassificação do Estadual. O Alvinegro teria que usar seu time principal na fase final do Carioca enquanto decidiria sua vida na fase de grupos da Libertadores. Nem isso, no entanto, animou o técnico Eduardo Húngaro.

“Se vamos tirar algum proveito ou não [da eliminação], só o futuro vai dizer. Mas tínhamos imaginado que estaríamos disputando essas duas competições para ganhar até o fim. Se o fato de disputar uma competição só vai trazer proveito, o futuro vai dizer. Mas nesse momento estamos muito chateados”, disse o técnico do Botafogo após a eliminação.

Eduardo Húngaro, inclusive, é um dos principais prejudicados com a desclassificação da equipe do Estadual. O treinador começou seu trabalho neste ano como desconhecido do grande público e não conseguiu bons resultados no Carioca. Uma eliminação na Libertadores antes das fases derradeiras pode acabar diminuindo seu tempo a frente da equipe.

A pressão pela eliminação pode ser sentida no discurso do treinador ao final da derrota para o Flamengo por 2 a 0, que selou a eliminação do Botafogo do Campeonato Carioca. O treinador ressaltou que a prioridade é a Libertadores, mas fez questão de reiterar que a intenção era a disputa das semifinais do Estadual.

“O tempo todo temos dito que a prioridade é a Libertadores. Em função disso, na maior parte das vezes essa equipe [a reserva]  tem atuado no Estadual. Temos uma viagem cansativa amanhã, vamos jogar na altitude [o Alvinegro vai à Quito]. Esse sentimento do torcedor é o de todos nós. Tenho dito após os resultados negativos que não é o que a gente quer, pois está aquém do que o Botafogo deveria estar realizando”, admitiu o treinador.

Em busca de uma recuperação e para evitar uma crise de verdade, o Botafogo enfrenta nesta quarta-feira o Indenpendiente Del Valle, no Equador, pela terceira rodada da fase de grupos da Libertadores. Um bom desempenho na partida seria um alento para a torcida após o fracasso no Rio de Janeiro.

Fonte: UOL