Por priorizar Libertadores, Botafogo deve ficar fora de semifinais após dez anos

Compartilhe:

Na última década, o Botafogo prezou pela regularidade no Estadual. Tricampeão (2006, 2010 e 2013) nesse período, só não ganhou mais vezes a competição que o Flamengo e, em outras quatro oportunidades, chegou à decisão. Mas o “custo Libertadores” deve pagar um preço alto agora: pela primeira vez desde 2004, o Alvinegro pode ficar fora, de forma precoce, da briga pelo título. E sem nem sequer disputar as semifinais.

Com apenas 4% de chances de alcançar o G-4 (é o sexto, com 15 pontos, a seis do Vasco, o quarto), segundo o matemático Tristão Garcia, o clube está perto de repetir a campanha de dez anos atrás, quando não avançou ao mata-mata das Taças Guanabara e Rio. E com um agravante: na atual fórmula de disputa do Carioca, não há segunda chance. Se não houver uma recuperação repentina nas quatro rodadas restantes (e a ajuda da sorte), o Botafogo dará adeus ao campeonato.

Eduardo Hungaro optou por utilizar os reservas no Estaudal e pode ficar fora das semifinais

Foto:  Reuters

O problema, porém, não parece preocupar Eduardo Húngaro, que mantém o rodízio no elenco para os jogos do Carioca. Contra o Audax, quinta-feira, em Moça Bonita, os titulares — que ganharam folga no fim de semana de Carnaval — voltam a campo, mas os reservas encaram outro clássico, apesar da frustrante derrota para o Macaé: contra o Flamengo, domingo, no Maracanã. E com a expectativa de repetir a ótima atuação contra o Fluminense.

“Não esperávamos esses resultados no Estadual”, decreta Eduardo Húngaro, não sem uma ponta de decepção. ”Não vamos mudar o planejamento porque os resultados do Carioca não vieram.”

Até agora, os reservas atuaram em nove dos 11 jogos do Botafogo no Carioca. O próximo jogo do Botafogo na Libertadores é só na quarta-feira da próxima semana, contra o Independiente del Valle, no Equador. Na competição, o Alvinegro lidera o Grupo 2, com quatro pontos, à frente do argentino San Lorenzo.

Fonte: O Dia Online

Comentários