Como não poderia ser diferente, o desembarque da delegação são-paulina no estádio do Morumbi para o duelo de logo mais, às 16h15 (horário de Brasília), com o Botafogo, pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro, foi marcado por uma série de questões sobre a contratação do técnico Ricardo Gomes.

O presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, se prontificou a falar sobre o assunto, mas foi superficial e não passou maiores detalhes do acordo que, segundo o próprio mandatário, irritou a cúpula do alvinegro carioca.

“A diretoria do Botafogo, de uma certa forma, resistiu. Ela não gostou de perdê-lo e eu ouvi de um importante botafoguense a seguinte frase: ‘Para o Botafogo é péssimo. Para o São Paulo eu espero que seja bom'”, explicou, garantindo que o clima de receptividade para a partida deste domingo será o melhor possível, apesar das divergências.

“O clima será como sempre, de muita cordialidade. É um movimento natural no futebol e nós temos um profundo respeito por eles, eu, pessoalmente, pelo presidente do Botafogo”, disse Leco.

O presidente tricolor revelou que Ricardo Gomes não acompanhará o duelo entre seu ex e atual clube in loco e tentou retardar qualquer informação mais específica referente a negociação que movimentou o mercado nos últimos dias.

“Ele não vai ser apresentado amanhã. Não está aqui. Ainda não está definido o momento dele vir, provavelmente será na terça-feira. O que eu posso dizer é que nós estamos muito felizes e confiantes”, comentou, tentando evitar entrar em alguns méritos.

“Eu não tenho detalhes da contratação dele. São detalhes que nós teremos a partir de amanhã. Nada será feito agora. Depois que passar esse jogo, a partir de amanhã, vamos conversar e definir tudo isso”, acrescentou.

Ao ser abordado para uma explicação do perfil que o São Paulo busca para a sequência da temporada, já que Ricardo Gomes tem um estilo completamente diferente do que fora adotado por Juan Carlos Osório e Edgardo Bauza, seus antecessores, Leco foi superficial.

“Foi um negociação com um técnico que tem uma história no São Paulo, é uma referência importante no futebol brasileiro e que, de uma certa forma, foi viável e possível de nós conseguirmos efetivar. Acredito que isso vai ser muito bom para nós”, repetiu, já demonstrando um incômodo com a insistência no tema.

Fonte: ESPN.com.br