Apesar da grande disposição de Loco Abreu em retornar ao Botafogo para a temporada de 2015, o presidente Carlos Eduardo Pereira adota cautela não apenas para falar do ídolo uruguaio, mas também sobre quaisquer contratações que possam vir a serem feitas pelo departamento de futebol neste início de trabalho da nova gestão. De acordo com o mandatário, os esforços dele estão concentrados em voltar ao Ato Trabalhista.

– Hoje meu foco é a responsabilidade na gestão. Se não tivermos nossas contas liberadas, não teremos condições de contratar ninguém. O Botafogo está sufocado. Infelizmente, não se temos como comprometer o clube a fazer nada se não voltarmos ao Ato Trabalhista. O clube quer retomar e as pessoas tem que se lembrar que a gestão passada acabou – explicou o presidente Carlos Eduardo Pereira, não descartando a volta de Loco.

A expectativa é de que o presidente Carlos Eduardo Pereira vá ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT-RJ), nesta terça-feira, mais uma vez em busca de um acordo permita ao clube destine um valor fixo mensalmente para o pagamento de dívidas trabalhistas, sem sofrer com penhoras de receitas.

Desde o início da nova gestão, no fim de novembro, 17 jogadores foram dispensados pela diretoria. Todos eles tinham contrato até 31 de dezembro. Nesta segunda-feira, o volante Gabriel entrou na Justiça para pedir liberação do clube devido aos atrasos salariais. Até agora, somente o técnico René Simões foi contratado.

Fonte: Extra Online