O presidente Carlos Eduardo Pereira falou na Rádio Botafogo Oficial sobre o caso Willian Arão e explicou que não deixará o volante sair facilmente. O clube pagou R$ 400 mil para renovar o contrato por mais dois anos, mas o jogador devolveu o dinheiro.

– O Botafogo tem diretos previstos no contrato e pode exigir o cumprimento na Justiça. Sempre na linha de defender seus direitos de forma inegociável. O contrato foi feito por livre e espontânea vontade do atleta, aceitando todas essas cláusulas. Quando assinou, era um atleta desconhecido. Hoje ganhou uma ascensão graças ao Botafogo e ao seu desempenho. Não acredito que nenhum clube que tenha bons princípios éticos vai anunciar um jogador que tem litígio com o Botafogo – afirmou.

Com a postura elogiada pela torcida, o presidente prometeu não deixar barato.

– Garanto à torcida do Botafogo que os direitos do clube serão sempre defendidos. Em momento algum vamos deixar o clube ser diminuído, ludibriado ou tripudiado por quem quer que seja.

Fonte: Rádio Botafogo Oficial