Fora de campo o presidente Carlos Eduardo Pereira teve alguns bens penhorados por conta de uma dívida que o clube tem, com o ex-volante Túlio. A decisão, da 74ª Vara do Trabalho, foi considerada absurda pelo dirigente, uma vez que as dívidas com o atleta são da gestão do ex-presidente Bebeto de Freitas. A decisão se baseia no fato de que Pereira também preside a Cia. Botafogo S.A.

“Vamos agora impetrar um mandado de segurança porque essa decisão é absurda. Não podemos aceitar uma situação dessas, pois o Botafogo está no Ato Trabalhista, que não pode ser furado. Estamos trabalhando para colocar em dia a situação financeira do clube, sem fazermos loucuras e honrando os compromissos. Mas a tarefa realmente não é das mais tranquilas, pois o cenário que encontramos é ruim”, disse Pereira.

Túlio defendeu o Botafogo na década passada, tendo inclusive integrado o elenco que conseguiu o acesso para a elite do futebol nacional no ano de 2003. O jogador sempre foi muito identificado com a torcida.

Fonte: Terra