QUE ESTRELA! TORCIDA EMPURRA E FOGÃO VENCE NO FIM

Compartilhe:

A pressão foi grande, e o segundo turno começou para o Botafogo do mesmo jeito que acabou o primeiro – de maneira emocionante e com vitória nos minutos finais. Consistente, dono de um volume invejável no ataque, o Glorioso tentou de todos os jeitos furar o bloqueio do Corinthians, a melhor defesa do Campeonato Brasileiro. E conseguiu de maneira memorável: após parar em cima da linha e em boas defesas de Cássio, o time carioca viu o gol salvador sair dos pés de Hyuri, aos 44 minutos do segundo tempo, para vencer por 1 a 0, no estádio do Maracanã, e manter a perseguição ao líder Cruzeiro. Na rodada anterior, o time de Oswaldo de Oliveira já havia vencido o Criciúma com um gol aos 46.

Com a vitória, o Botafogo se manteve na vice-liderança do Brasileirão, com 39 pontos, a quatro do Cruzeiro. O Corinthians, com cada vez mais dificuldades de entrar no G-4, chegou à terceira partida sem vencer e ficou a cinco pontos da zona de classificação à Taça Libertadores da América. Se o título parece palpável ao Fogão, parece cada vez mais distante ao Timão.

Hyuri comemora gol do Botafogo (Foto: Vitor Silva / SSPress)Hyuri comemora o gol da vitória do Botafogo (Foto: Vitor Silva / SSPress)

O time paulista não costuma deixar que os adversários se aproximem de sua área. Na noite desta quarta-feira, porém, a história foi diferente. Diante de 19.843 pagantes, o Botafogo criou diversas oportunidades para balançar as redes e sair vitorioso. Na melhor delas até a poucos minutos do fim, Seedorf driblou Cássio e tocou para o gol, mas o zagueiro Paulo André apareceu para salvar em cima da linha, num lance que deixou evidente que o esquema de deixar o adversário em impedimento não estava funcionando como de costume.

Os cariocas aproveitaram as brechas do Corinthians nas laterais para dar velocidade alucinante ao jogo. O bom ritmo do primeiro tempo aumentou na etapa final, quando os visitantes resumiram suas jogadas a lançamentos pouco objetivos e chutes de fora da área. Alexandre Pato, que entrou na reta final, após ter voltado às pressas dos Estados Unidos (onde ajudou o Brasil a vencer Portugal em amistoso na terça), chegou perto em cabeceio, mas Renan evitou o gol.

O Corinthians volta a campo no próximo domingo, às 16h (horário de Brasília), no Pacaembu, para enfrentar o Goiás. Já o Botafogo entra em campo no mesmo dia, mas um pouco mais tarde, às 18h30m, para encarar o Santos, na Vila Belmiro.

Seedorf Botafogo e Corinthians (Foto: Andre Durão)Seedorf passa por Alessandro no Maracanã (Foto: Andre Durão)

Botafogo começa melhor

O Corinthians tem a melhor defesa do Campeonato Brasileiro. Começou a rodada com apenas oito gols sofridos em 19 jogos, muito por conta do sistema de compactação – as linhas de defesa e meio-campo jogam próximas, e não dão espaço ao adversário. Isso não aconteceu no Maracanã. Consistente, o Botafogo, aproveitando-se principalmente de jogadas pelas laterais, mostrou em poucos minutos por que está brigando na parte de cima da tabela do Campeonato Brasileiro. Correu, driblou, finalizou… Parou em cima da linha.

Em um ritmo de jogo imparável, liderado pelo veterano de 37 anos, Clarence Seedorf, o Botafogo acuou o Corinthians. O holandês protagonizou a melhor chance dos cariocas aos 16 minutos: invadiu a área, escapando da linha de impedimento adversária, driblou Cássio e chutou. No meio do gol, Paulo André evitou por centímetros que os donos da casa abrissem o placar.

Seedorf jogo Botafogo contra o Corinthians (Foto: André Durão / Globoesporte.com)Seedorf driblou Cássio, mas chutou em cima de Paulo André (Foto: André Durão / Globoesporte.com)

Explorando as laterais, o time de Oswaldo de Oliveira tocou melhor a bola e colocou o Timão para correr. Mesmo sob os incessantes gritos de Tite, Alessandro deu espaço para que o Botafogo criasse pelo lado esquerdo. Mantido em sua posição original para que Edenílson fosse adaptado no meio-campo, o capitão do Corinthians quase deixou a bola de graça para Seedorf, após bater cabeça, literalmente, com o goleiro Cássio. O holandês ainda teve outra boa chance, num voleio mal sucedido.

As tentativas da defesa do Corinthians de deixar o ataque botafoguense em impedimento falhavam jogada após jogada. Até mesmo o auxiliar de Tite, Cléber Xavier, deixou o banco de reservas para cobrar os zagueiros alvinegros por uma melhora no quesito. Quarenta e cinco minutos de um jogo truncado, com vantagem para o Glorioso.

Hyuri brilha e dá a vitória

No vestiário, os jogadores do Botafogo já podiam saber da vitória por 2 a 1 do Cruzeiro sobre o Goiás, resultado que manteve a Raposa na liderança do Campeonato Brasileiro. Coincidência ou não, o ritmo do time carioca, que já era acelerado, aumentou. Determinados, os donos da casa, foram instruídos por Oswaldo de Oliveira a aproveitar as brechas deixadas pelo Timão pelas laterais. E continuaram apostando na velocidade.

Marcelo Mattos e Emerson jogo Botafogo e Corinthians (Foto: André Durão / Globoesporte.com)Marcelo Mattos deu pouco espaço para Emerson
(Foto: André Durão / Globoesporte.com)

Em busca de um contra-ataque para surpreender o adversário, o Corinthians parecia adotar outro estilo de jogo em relação ao que foi apresentado até aqui no Brasileirão. O time de Tite não tinha a bola – a posse foi de 57% do Botafogo, contra 43% do Corinthians. No primeiro minuto, a equipe paulista até assustou o goleiro Renan com um chute de fora da área de Danilo. A troca de passes, neutralizada pelo bom posicionamento da defesa botafoguense, deu lugar a jogadas que incluíam lançamentos longos e, em algumas oportunidades, “chutões”.

A criação nula do Corinthians contrastava com a pressão do Botafogo. Aos 20 minutos, Cássio salvou o Timão em um intervalo de poucos segundos: primeiro, fechou o ângulo para evitar o gol de Edílson, em finalização à queima-roupa pela direita. Depois, no rebote do escanteio, defendeu novo chute do lateral-direito do Botafogo. A segurança que sobrava ao goleiro faltava aos atacantes da equipe.

Ciente da baixa efetividade do Corinthians, Tite lançou Alexandre Pato – que viajou 10 horas de Boston, onde estava com a seleção brasileira, para jogar no Rio de Janeiro – no lugar de Romarinho. Ele assustou a torcida do Botafogo com um cabeceio, mas pouco mudou. Assim como o jovem Paulo Victor, que substituiu Emerson Sheik.

Ao Botafogo, restou o “abafa”: o time carioca tentou de todos os jeitos furar o bloqueio do Corinthians. E conseguiu. Aos 44 minutos do segundo tempo, o habilidoso Hyuri recebeu passe preciso de Edílson e, na saída de Cássio, tocou de cavadinha para dar a vitória aos donos de casa. Explosão no Maracanã. O Fogão se mantém forte na briga pelo título brasileiro!

Hyuri comemoração Botafogo contra o Corinthians (Foto: Satiro Sodré / SSPress)Jogadores do Botafogo comemoram a vitória contra o Corinthians (Foto: Satiro Sodré / SSPress)

FICHA TÉCNICA:
BOTAFOGO 1 x 0 CORINTHIANS

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/Horário: 10/9/2013 – 21h50
Árbitro: Hebert Roberto Lopes (SC).
Auxiliares: Marcio Eustáquio S. Santiago (MG) e Cristhian Passos Sorence (GO)
Renda e público: R$ 806.700,00 / 19.843 pagantes / 23.679 presentes
Cartões amarelos: Seedorf, Lodeiro (BOT); Paulo André, Emerson Sheik, Felipe (COR)
Cartões vermelhos:
Gols: Hyuri, aos 44’/2ºT (1-0)

BOTAFOGO: Renan, Edilson, Bolívar, Dória, Julio Cesar; Marcelo Mattos (Lucas Zen – 31’/2ºT), Renato, Lodeiro (Octávio – 37’/2ºT), Seedorf, Rafael Marques e Elias (Hyuri – 11’/2ºT). TÉCNICO: Oswaldo de Oliveira.

CORINTHIANS: Cássio, Alessandro, Gil, Paulo André e Igor (Felipe – 42’/2ºT); Maldonado, Edenilson, Danilo, Douglas e Romarinho (Pato – 23’/2ºT); Emerson Sheik (Paulo Victor – 36’/2ºT). TÉCNICO: Tite.



Fonte: Globoesporte.com (texto) e Lancenet! (ficha)
Comentários