A diretoria do Santos aguarda apenas o fim do Campeonato Brasileiro para sacramentar a contratação do técnico Oswaldo de Oliveira para a próxima temporada. Nesta quinta-feira, membros do Comitê de Gestão se reuniram por cerca de nove horas para tratar desse e de outros assuntos referentes ao planejamento para 2014.

O acordo verbal com Oswaldo de Oliveira já está acertado. Os dirigentes santistas esperam a última rodada do Brasileirão para colocar no papel o que foi acordado previamente entre o presidente interino Odílio Rodrigues e o treinador. Com o Botafogo na briga por uma vaga na Libertadores, o técnico concentra todas suas atenções no campeonato nacional, mas o Peixe está confiante na contratação mesmo em caso de classificação.

O negócio só não é dado como certo pelos membros do Comitê de Gestão por temor de que surja na última hora uma proposta milionária do exterior, possivelmente da Ásia – Oswaldo já trabalhou no Japão, onde dirigiu o Kashima Antlers e foi tricampeão nacional. O consenso é de que a decisão está na mão do treinador.

A proposta salarial do Peixe é de R$ 400 mil, valor próximo ao que Oswaldo de Oliveira recebe no Botafogo e colocado como limite pela diretoria santista para acertar com qualquer nome.

O custo-benefício, o sucesso no Botafogo, onde trabalhou com garotos, e a experiência adquirida desde que deixou a Vila Belmiro, em 2005, são as principais virtudes citadas pela diretoria para querer Oswaldo. Há também o desejo por uma equipe montada ofensivamente, seguindo a tradição santista.

Apesar de ter Oswaldo como nome favorito, o Santos também tem planos B e C alinhados. Caso a contratação não dê certo, o clube já sabe as condições para acertar com Ney Franco, do Vitória, ou Enderson Moreira, do Goiás.

Fonte: Globoesporte.com