A Estrela Solitária nunca brilhou tanto! Em noite inspirada de Wágner e com gol decisivo de Túlio Maravilha – sempre ele -, o Botafogo empatou com o Santos em 1 a 1 neste domingo, no Pacaembu, e conquistou pela primeira vez o Campeonato Brasileiro. A equipe santista tinha posado para fotos com pôster do título e tudo durante a semana, mas a força do Glorioso falou mais forte. Pode vibrar, torcida alvinegra!

Continua Depois da Publicidade

Bolsas, mochilas e carteiras para torcedores do Botafogo na loja do FogãoNET/Estilo Piti

O título do Botafogo – o segundo a nível nacional, após a Taça Brasil de 1968 – reflete uma guinada na história do clube. Após participar da retomada da sede de General Severiano, o presidente Carlos Augusto Montenegro montou um time com peças de ótima qualidade e viu sua aposta num técnico desconhecido (Paulo Autuori, vindo de Portugal) dar muito certo.

Depois de uma campanha regular no primeiro turno, o Botafogo atropelou no segundo turno e terminou como líder do Grupo A, com 27 pontos e apenas uma derrota. Por ter feito a segunda melhor campanha geral, jogou por dois resultados iguais e passou pelo Cruzeiro nas semifinais com dois empates (1 a 1 e 0 a 0). Na decisão, após vencer o primeiro jogo no Maracanã por 2 a 1, o Fogão segurou o empate contra o Santos e ficou com a taça. Vamos festejar!

Continua Depois da Publicidade

O JOGO

O Santos terminou o primeiro jogo no Maracanã comemorando, sentindo-se confiante para vencer por um gol de diferença no Pacaembu – ele tinha a vantagem de dois resultados iguais. Mas a confiança de Túlio venceu a empáfia do Santos. O artilheiro acabou jogando mais recuado por causa das condições físicas debilitadas de Donizete, que jogou no sacrifício. O Maravilha se desdobrava em campo e ajudou o Botafogo a marcar bem o adversário.

Com Leandro Ávila e Jamir anulando as ações de Giovanni, principal nome santista, e Wilson Goiano levando a melhor sobre Camanducaia, o Botafogo foi gostando do jogo. E, aos 25 minutos, na bola parada, conseguiu aumentar a vantagem obtida no Rio: Sérgio Manoel cobrou falta da esquerda, Jamir cabeceou e Túlio, sempre bem posicionado, completou. Ainda bem que o bandeirinha Evaristo de Souza não viu a posição de impedimento: 1 a 0.

Continua Depois da Publicidade

Bolsas, mochilas e carteiras para torcedores do Botafogo na loja do FogãoNET/Estilo Piti

O gol deu uma desarrumada ainda maior no Santos, que chegou a ter uma chance clara com Giovanni, após cobrança de escanteio de Jamelli, e outra com Marcos Adriano. O Botafogo conseguiu manter-se na frente até o comecinho do segundo tempo. Depois de perder o lateral-esquerdo André Silva por lesão, o Glorioso viu Marquinhos Capixaba ajeitar a bola com a mão e passar para Marcelo Passos empatar em 1 a 1, aos dois minutos.

O empate santista deixou a partida ainda mais aberta, e o Botafogo viu seu goleiro brilhar. Wágner fez uma defesa espetacular em cobrança de falta de Marcelo Passos, aos 28 minutos. Sete minutos depois, Giovanni recebeu de frente para o gol e Wágner, novamente, foi no cantinho e salvou o Glorioso, tornando-se um herói para a eternidade.

Continua Depois da Publicidade

O Santos ainda teve um gol anulado de Camanducaia, e o Botafogo uma bola na trave, com Donizete, um leão em campo mesmo atuando lesionado. Os minutos finais foram de sofrimento para a torcida botafoguense, o árbitro Márcio Rezende de Freitas levou o jogo até os 49 minutos, mas o apito final tirou o grito da garganta da torcida gloriosa! E Túlio Maravilha cumpriu sua profecia, comendo peixe e tudo depois. O Botafogo é campeão brasileiro!!!

FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 X 1 BOTAFOGO

Local: Estádio do Pacaembu
Data-Hora: 17/12/1995 – 19h
Árbitro: Marcio Rezende de Freitas (MG)
Assistentes: Evaristo de Souza (MG) e Marco Antonio Martins (MG)
Renda e público: R$ 697.520,00 / 28.488 pagantes
Cartões amarelos: Jamelli (SAN); Wilson Goiano, Wágner e Túlio (BOT)
Cartões vermelhos:
Gols: Túlio 25’/1ºT (0-1) e Marcelo Passos 2’/2ºT (1-1)

Continua Depois da Publicidade

SANTOS: Edinho; Marquinhos Capixaba, Ronaldo, Narciso e Marcos Adriano; Carlinhos, Marcelo Passos, Robert (Macedo) e Jamelli; Giovanni e Camanducaia – Técnico: Cabralzinho.

BOTAFOGO: Wágner; Wilson Goiano, Wilson Gottardo, Gonçalves e André Silva (Moisés); Leandro Ávila, Jamir, Beto e Sérgio Manoel; Donizete e Túlio – Técnico: Paulo Autuori.

A campanha do Botafogo no Brasileiro-1995:

19/8 – Vitória 2×2 Botafogo – Barradão
23/8 – Botafogo 3×1 Paysandu – Caio Martins
27/8 – Botafogo 3×0 Guarani – Caio Martins
30/8 – Bragantino 1×0 Botafogo – Marcelo Stéfani
2/9 – Botafogo 2×1 Corinthians – Caio Martins
7/9 – Palmeiras 2×1 Botafogo – Prudentão
16/9 – Grêmio 2×3 Botafogo – Olímpico
20/9 – Botafogo 0x0 Juventude – Caio Martins
24/9 – Flamengo 1×3 Botafogo – Castelão (CE)
1/10 – Cruzeiro 5×3 Botafogo – Mineirão
8/10 – Botafogo 0x0 Paraná – Caio Martins
12/10 – São Paulo 0x2 Botafogo – Morumbi
15/10 – Botafogo 0x0 Internacional – Almeidão
22/10 – Sport 1×2 Botafogo – Ilha do Retiro
28/10 – Botafogo 2×0 Portuguesa – Maracanã
4/11 – Criciúma 1×1 Botafogo – Heriberto Hülse
9/11 – Botafogo 3×0 União São João – Caio Martins
12/11 – Botafogo 5×0 Atlético-MG – Maracanã
18/11 – Goiás 0x1 Botafogo – Serra Dourada
22/11 – Botafogo 2×0 Bahia – Maracanã
26/11 – Vasco 0x2 Botafogo – Maracanã
29/11 – Santos 3×1 Botafogo – Vila Belmiro
3/12 – Botafogo 1×1 Fluminense – Engenheiro Araripe
7/12 – Cruzeiro 1×1 Botafogo – Mineirão
10/12 – Botafogo 0x0 Cruzeiro – Maracanã
13/12 – Botafogo 2×1 Santos – Maracanã
17/12 – Santos 1×1 Botafogo – Pacaembu

Continua Depois da Publicidade

Fonte: Redação FogãoNET
Continua Depois da Publicidade

Comentários