A primeira grande medida da nova diretoria do Botafogo foi tomada nesta quarta-feira. Vagner Mancini e Wilson Gottardo não fazem parte do planejamento para a próxima temporada. A dupla esteve na campanha que rebaixou a equipe para a Série B do Campeonato Brasileiro, o que foi fundamental para a decisão do presidente Carlos Eduardo Pereira. Apesar da decisão já ser definitiva, a dupla ainda não foi avisada.

Desde que venceu as eleições, Carlos Eduardo tinha como objetivo fazer uma reformulação, mas preferiu esperar o fim do Brasileiro para tornar tudo oficial. As partes conversaram bastante desde então e chegaram a considerar manter Gottardo e Mancini nos cargos. Entretanto, a vontade de mudar falou mais alto e chegaram a essa conclusão.

“Encaro com naturalidade toda essa situação. É uma nova diretoria e tem o direito de fazer as mudanças que eles julgarem necessárias. O fato de ser o dirigente do time rebaixado, mesmo entrando no meio de toda a situação, pesou para essa decisão. O futebol é assim, aconteceu no Flamengo [Felipe Ximenes] e agora é no Botafogo. Ainda não fui avisado, mas há uma reunião marcada para o fim da semana”, disse Wilson Gottardo ao UOL Esporte.

Com a decisão tomada, o Botafogo segue atrás de um técnico e um diretor que cuidará do futebol. O perfil é o mesmo para os dois cargos: alguém que entenda e tenha habilidades para lidar com um caos financeiro neste primeiro momento. Carlos Alberto Torres foi convidado para assumir o futebol, mas recusou a proposta. Ele tem contrato com o Sportv e cumprirá o vínculo.

Já para comandar a equipe, o Botafogo ainda estuda nomes. Vagner Mancini recebia R$ 150 mil, valor considerado alto pela diretoria. Portanto, o novo profissional teria que receber valor inferior para acertar com o Alvinegro. Argel Fucks é um nome que interessa, mas nenhum contato foi feito nesse momento.

Fonte: UOL