Cansado dos problemas extracampo de Sassá, e sem condições de aceitar o alto pedido do atacante para renovação, o Botafogo aceitou, em julho deste ano, trocar o seu artilheiro de 2016 pelo meia-atacante Marcos Vinícius, do Cruzeiro.

A torcida alvinegra, que não conhecia muito bem o jogador que chegava, desconfiou. Embora tenha feito algumas boas partidas desde a sua estreia, na 11ª rodada contra o Corinthians, apenas agora o jogador de 22 anos começa a engrenar.

Nos últimos três jogos, atuando mais próximo da área – um pedido de Jair Ventura, que conhece o jogador desde a época em que jogava na base do Náutico – Marcos Vinícius fez três gols. No total já contabiliza cinco neste Brasileirão [nº inferior apenas aos de Roger, 10, e Bruno Silva, 6] e mostra que a troca com o Cruzeiro valeu a pena ao menos até aqui.

Isso porque ainda que Sassá tenha um gol a mais [6] e seja vice-líder do Cruzeiro, além de ter números ofensivos superiores – muito disso por ser um atacante de fato, enquanto Marcos Vinícius joga um pouco mais recuado – o camisa 99 da Raposa tem dois fatores negativo contra si: a lesão e as polêmicas.

Jogador de grande força física, Sassá tem facilidade para ganhar disputas de corpo e tem uma habilidade apurada para as finalizações. Foi assim que o atacante se transformou no segundo jogador que mais aproveita suas finalizações para transformá-las em gol, dentre os que balançaram as redes mais de cinco vezes neste Brasileirão [27.27%, menos apenas do que o artilheiro Henrique Dourado, do Fluminense, com 22.63%]. Mas sua veia problemática extracampo é tão presente quanto.

Sem entrar em campo há dez rodadas [a última vez foi contra a Chapecoense], Sassá protagonizou algumas polêmicas, como quando se envolveu em confusão dentro de uma boate em Belo Horizonte. Mas o pior para os cruzeirenses foi ter curtido uma foto do Atlético-MG após o Cruzeiro perder um clássico mineiro.

Apesar da leve superioridade nos números, neste 2017 o Botafogo conseguiu tirar melhor proveito da troca com os mineiros: Marcos Vinícius rendeu o mesmo número de gols [além dos cinco tentos, deu uma assistência], não sofreu lesões graves e muito menos se envolveu em grandes polêmicas.

Fonte: Goal.com