Vendas milionárias e ‘nada’ nos cofres: a dura realidade atual do Botafogo

Compartilhe:

Em condição financeira dramática, o Botafogo tem vivido, nos últimos anos, uma situação de agonia. Movimenta milhões, mas não tem acesso às quantias. Concretizando a negociação do zagueiro Dória para o futebol francês e somando-a com a venda do atacante Vitinho, em 2013, o Glorioso somará cerca de R$ 60 milhões em transações somente com a dupla prata-da-casa. No entanto, por conta das dívidas, a grana mal passa pelos cofres alvinegros.

No caso de Dória, especula-se que o negócio com a França (o provável destino é o Olympique) gire em torno de 10 milhões de euros (cerca de R$ 29,5 milhões). O Botafogo possui 30% de seus direitos econômicos e já está estabelecido que o valor que o clube tem a receber será destinado ao pagamento de dívidas.

Vitinho, vendido em agosto do ano passado também por 10 milhões de euros para o CSKA, da Rússia, gerou cerca de R$ 18 milhões ao Alvinegro por conta dos 60% dos direitos econômicos que o Glorioso tinha posse. A quantia, porém, foi penhorada também pelos mesmos motivos.

Nesta temporada, o Botafogo ainda vê surgir uma nova revelação, o meia Daniel, autor do gol da vitória sobre o Santos, neste domingo, no Maracanã. O jogador renovou seu contrato em janeiro até 2017 e a diretoria estabeleceu uma multa rescisória de R$ 64 milhões para clubes do exterior e R$ 55 milhões para brasileiros.

As movimentações milionárias contrastam com a dura realidade do dia a dia, que conta com salários atrasados e protestos dos jogadores.

O zagueiro Dória é aguardado na França nesta segunda-feira e sequer foi relacionado para a partida diante do Peixe.



Fonte: UOL
Comentários