Quase dois meses de salários atrasados com jogadores e funcionários, recentes cortes de luz em General Severiano e de água no Estádio Nilton Santos. O Botafogo vive sérias dificuldades e não vê perspectivas de mudanças imediatas.

Em entrevista à Rádio Brasil, o vice-presidente de finanças, Luiz Felipe Novis, não deu previsão para quitar salários. Ele colocou como esperança de melhora receitas de TV e possíveis vendas de jogadores.

Leia abaixo o que falou o dirigente:

Qual a prioridade?
– Nossa situação no clube financeira é grave, mas a diretoria está procurando alternativas para resolver, principalmente salários de jogadores e funcionários. É a prioridade no momento. O clube não pode deixar perdurar essa situação crítica.

Motivo da crise?
– Infelizmente esse ano é difícil, houve quebra das receitas, principalmente da TV, e isso provocou desequilíbrio muito grande no nosso fluxo. Estamos tentando soluções e esperamos conseguir o mais breve possível dar uma notícia boa para melhorar os sofrimentos dos nossos funcionários. Pedimos um pouco mais de paciência e compreensão. Todos os vice-presidentes e o presidente estão focados nesse problema que aflige a todos.

Há previsão?
– Nesse momento é difícil dar previsão. As alternativas não são muito boas e não são firmes. Seria muita irresponsabilidade dar data e não poder cumprir. Prefiro aguardar um pouco mais. Existem algumas possibilidades, estamos perseguindo. A prioridade será o pagamento dos salários.

Dificuldades dos funcionários
– Realmente não podemos exigir dos funcionários quando não fazemos nossa parte. Ontem conseguimos reserva, fizemos depósito de vale-alimentação e vale-refeição. Todos os funcionários estão abastecidos por um período de uma semana ou mais. Sempre que há sobra fazemos o depósito. Mas realmente é muito difícil exigir assiduidade. A parte administrativa nossa tem que pensar alternativas, talvez um rodízio, se a coisa perdurar. Temos que procurar soluções, o clube não pode ficar parado. Mas tenho certeza que vamos resolver, já passamos por situações piores no passado e conseguimos vencer.

Restante do ano
– A tendência é melhorar um pouco, porque pelo fluxo das receitas da TV, é possível que passemos a ter recebimentos que vão nos ajudar na reta final do ano. Realmente a situação é bem complicada, mas esperamos sempre que vá melhorar. Contamos com receitas novas da TV até o fim do ano.

Venda de jogadores
– Tínhamos a expectativa de ter mais receita (com venda), mas a janela do Kuwait vai até 30 de setembro, há uma pequena esperança. De fato, a solução primeira que surge são as receitas extraordinárias com venda de jogadores. Continuamos no aguardo de esse caminho poder nos ajudar.

Tributos
– Alguns tributos estão em dia, outros estamos fazendo parcelamentos. A situação merece toda nossa atenção, porque não podemos ficar inadimplentes. É segunda prioridade, após o pagamento dos salários. Estamos honrando os parcelamentos.

Fonte: Redação FogãoNET e Rádio Brasil