Quem acompanha os treinos do Botafogo sabe que os jogadores trabalham intensamente, muitas vezes em ritmo de jogo. Tudo para mostrar serviço ao técnico Alberto Valentim, que incentiva a disputa entre os atletas como elemento fundamental para o crescimento do grupo. Desde que ele assumiu, viu alguns atletas, como o meia chileno Leonardo Valencia e o atacante Brenner, reclamarem de serem substituídos. Punição para eles? Não na visão do comandante, que vê a revolta, em um tom adequado, como importante.

Neste cenário, ele tem comemorado o aumento no número de opções e algumas disputas abertas. Na lateral esquerda, por exemplo, Moisés, que era considerado titular, sofreu lesão no tornozelo direito e perdeu espaço para Gilson, que tem apresentado bons números. Agora que retornou, o ex-jogador do Corinthians está tendo que disputar posição.

Na zaga, Joel Carli, titular absoluto nos dois anos anteriores, penou para voltar à condição de dono da posição. Porém, Yago e Marcelo Benevenuto, reservas do argentino e de Igor Rabello, sabem que podem assumir um lugar a qualquer momento. Yago deve ser titular no domingo, quando o Glorioso enfrenta o Vitória, às 16h (de Brasília), no Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ), pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro.

No ataque, o uruguaio Rodrigo Aguirre é outro que está tentando assumir a vaga em um setor que Kieza e Rodrigo Pimpão também buscam a regularidade. Brenner, um titular que não rendeu nos últimos jogos, está ameaçado.

“O importante é todos os jogadores terem vontade de entrar em campo, se respeitarem e estarem preparados quando a oportunidade aparecer. Transparência é o mais importante”, disse o treinador.

O elenco do Botafogo volta a treinar nesta sexta-feira à tarde, quando Alberto Valentim vai definir a escalação que pretende utilizar contra o Vitória. Com oito pontos conquistados, o Glorioso quer um triunfo para voltar a encostar no G-6, a zona de classificação para a Copa Libertadores.

Fora de campo a diretoria espera definir até segunda-feira o local para um período de treinos durante a Copa do Mundo. O Centro de Treinamento da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), em Saquarema (RJ), Região dos Lagos do Rio de Janeiro, surge como uma alternativa depois de o Espírito Santo ter sido descartado.
Destaques Patrocinados

Fonte: Gazeta Esportiva