Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Jogos

Série B

17/06/21 às 19:00 - Do Café

Escudo Londrina
LON

X

Escudo Botafogo
BOT

Série B

13/06/21 às 16:00 - Raulino de Oliveira

Escudo Botafogo
BOT

3

X

0

Escudo Remo
REM

Série B

05/06/21 às 21:00 - Nilton Santos

Escudo Botafogo
BOT

2

X

0

Escudo Coritiba
CTB

Alerj vota obrigatoriedade do árbitro de vídeo nos jogos do Campeonato Carioca

0 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

A Assembleia Legislativa do Rio vota nesta quinta-feira o projeto de lei do deputado estadual Samuel Malafaia (DEM), que determina a obrigatoriedade do uso do árbitro de vídeo em partidas organizadas pela Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj). Se o projeto for aprovado, a entidade terá 180 dias para se adequar à lei. O que significa que a medida não seria necessariamente adotada no próximo Carioca.

A notícia, publicada em primeira mão na coluna do jornalista Ancelmo Gois, nesta quarta-feira, surpreendeu a Federação. O presidente da Comissão de Arbitragem do Rio, Jorge Rabello, prevê um gasto de R$ 3 milhões (R$ 30 mil por cada uma das cem partidas) com o uso do árbitro de vídeo no Campeonato Carioca.

– Existe uma verdade inexorável: o futuro se constrói com as ações do presente no seu dia a dia, e o árbitro de vídeo veio para ficar e entrar definitivamente para a história da arbitragem, significando, eu diria, um antes e depois.

Abaixo, o texto do projeto de lei:

PROJETO DE LEI Nº 3377/2017

EMENTA:

DETERMINA A OBRIGATORIEDADE DO USO DO RECURSO DO ÁRBITRO DE VÍDEO NAS PARTIDAS DE FUTEBOL ORGANIZADAS PELA FEDERAÇÃO DE FUTEBOL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – FERJ

Autor: Deputado SAMUEL MALAFAIA

A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

RESOLVE:

Art. 1°. Fica determinado o uso do Árbitro de Vídeo nas partidas de futebol organizadas pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro – FERJ.

Parágrafo único. Ficam isentos da obrigatoriedade do caput desse artigo os campeonatos da Série C, os juvenis, os infantis, os mirins, o Campeonato Feminino Sub-20 e Sub-16, o Campeonato amador da capital e o Torneio de Futebol Sub-17.

Art. 2°. O uso do Árbitro de Vídeo deve ocorrer, a partir do momento em que a Comissão de Arbitragem da FERJ apresente condições técnicas e materiais – o que poderá se dar no curso de qualquer das competições que organiza, independentemente de fase.

§ 1º. Somente o Árbitro de Vídeo da FERJ é válido para as decisões oriundas dos árbitros que têm a natureza fática.

§ 2º. A eventual existência de outros vídeos com outros ângulos obtidos em partidas com transmissão direta são oficiais e não afetarão as decisões da arbitragem, seja para impugnação do resultado, seja para obter qualquer espécie de reparação pelos clubes disputantes ou por terceiros.

Art. 3°. O descumprimento da presente lei acarretará as seguintes sanções:

I. Multa no valor de 50 (cinquenta) mil reais;

II. Havendo reincidência a multa será 10 (dez) vezes maior do que a primeira multa;

II. Adiamento imediato das partidas de futebol seguintes à partida que não havia o Árbitro de Vídeo.

Art. 4º. O valor arrecadado com as multas deverão ser revertidos para o Fundo Estadual de Combate à Pobreza e às Desigualdades Sociais (FECP).

Art. 5º. A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro – FERJ terá o prazo de 180 (cento e oitenta) dias para se adequar a esta Lei.

Art. 6º. Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação.

Plenário Barbosa Lima Sobrinho,19 de setembro de 2017.

Deputado SAMUEL MALAFAIA

Membro da Mesa Diretora

Notícias relacionadas
Comentários