Jogo importante para o Botafogo, que está pensando lá na semifinal da Taça Guanabara. Mas, antes, tem a Copa do Brasil, que é um título inédito na história do clube. Bateu na trave em 1999, naquela final em que 100 mil torcedores estavam no Maracanã, contra o Juventude. Agora é uma nova história.

O técnico Felipe Conceição está apostando e deve ser assim. O Botafogo tem que pensar firme na Copa do Brasil, que é um título “muito mais fácil” que o Campeonato Brasileiro, porque os grandes clubes só entram na reta final, das oitavas em diante, os que saem da Conmebol Libertadores.

Um detalhe chama atenção: o Botafogo em reconstrução em relação ao ano passado. O clube perdeu peças importantes, casos de Roger e Bruno Silva, peças que fazem falta. Quem é o cara que pensa jogo no time? Bruno Silva ajudava muito nisso, o cara que empurrava a bola para a rede. ‘Ah, chegou o Kieza, tem o Brenner…’, é um Botafogo em reconstrução.

É um jogo difícil hoje, contra a Aparecidense? É. É um duelo só nessa fase, e o Alvinegro como visitante tem a vantagem do empate. É bom, mas não será jogo fácil. Não tem jogo fácil na Copa do Brasil, ainda bem mais com esse regulamento de um jogo só.

Outro detalhe chama atenção, é uma competição muito rentável. O campeão leva R$ 50 milhões, mais a vaga na Conmebol Libertadores, ou seja, torcedor do Botafogo, apoie o time, mas saiba que essa temporada vai ser muito difícil.

Leo Valencia, estou esperando muito desse jogador, que comece a aparecer. A temporada passada foi para acostumar, ambientou, agora é hora de botar a bola debaixo do braço e resolver, ao lado do João Paulo, do garoto Matheus Fernandes, que é dúvida, e municiar os atacantes. Espero um Botafogo jogando solto, para frente, que foi a característica do ano passado.

Fonte: Blog do Fábio Azevedo - Fox Sports