Apesar de o Botafogo já ter sido eliminado das duas competições que disputou até aqui em 2014 – Carioca e Libertadores – na avaliação do gerente técnico Sidnei Loureiro o planejamento do departamento de futebol para a temporada foi correto. Na opinião dele, estes fatos são recorrentes ao esporte, em que se ganha e se perde, independentemente da qualidade e do que foi planejado previamente.

– Não nos arrependemos do planejamento. Acho que são coisas que acontecem no futebol. É o único esporte em que percentual não ganha jogo – disse Sidnei, em entrevista coletiva, concedida no Engenhão, nesta semana.

O membro da diretoria alvinegra lamentou a derrota para o Unión Española (CHI), por 1 a 0, em pleno Maracanã, que foi determinante para a eliminação do Botafogo.

– Sabíamos que Libertadores se conquista vencendo em casa. Maior exemplo disso foi o Atlético-MG, campeão da Libertadores no ano passado. Infelizmente o “se” não acontece no futebol. A bola não entrou e ficou complicado classificar na Argentina – disse Sidnei.

Classificado para a disputa da Copa Libertadores – competição que não disputava há 17 anos – o Botafogo perdeu jogadores como Seedorf, aposentado, Rafael Marques – negociado com o futebol chinês -, além do técnico Oswaldo de Oliveira – que não teve o contrato renovado. Para 2014, Eduardo Hungaro – que era auxiliar de Oswaldo – assumiu como técnico, sendo demitido após a eliminação na competição sul-americana.

Para priorizar a Libertadores, dois grupos de jogadores foram montados: um para o torneio continental e outro para a disputa do Campeonato Carioca, que foi jogado na maioria das partidas com o time reserva. Em nenhuma das duas competições o time teve sucesso.

Dos jogadores contratados para a temporada, os gêmeos Alex (lateral-direito) e Anderson (lateral-esquerdo), já treinam separados com outros jogadores do elenco e aguardam propostas para serem negociados. Mesma situação do uruguaio Mario Risso, que jogou apenas uma partida no Estadual.

Fonte: Lancenet!