O apelido “Loco” traz boas lembranças aos torcedores do Botafogo. O mais recente reforço do clube a ser apresentado, nesta sexta-feira, no Estádio Nilton Santos, o equatoriano Gabriel Cortez quer se aproveitar da coincidência de ter a mesma alcunha do ídolo uruguaio para conseguir a confiança da torcida alvinegra.

– Loco Abreu ganhou a confiança da torcida. Se Deus quiser, eu vou fazer as coisas bem e dar alegrias a eles também. Meu apelido é Loco desde pequeno – disse Cortez.

Ainda sem dominar o português e com a timidez de um recém chegado, Cortez se esquivou das perguntas sobre os motivos do apelido. A fama de louco teria surgido em razão do temperamento forte e de polêmicas acumuladas na carreira.

Questionado sobre as características dentro de campo, ele comentou que gosta de deixar os companheiros na cara do gol. Cortez também acredita que seu estilo ofensivo vai se encaixar bem no futebol brasileiro.

– É a minha primeira vez no futebol brasileiro. É um futebol muito importante, muito alegre. Acompanho os jogadores equatorianos que jogam aqui, como Cazares, Arboleda. No Equador jogava de ponta, mais ofensivo. Gosto de jogar dessa forma, ajudando os atacantes. Todos me falaram muito bem do futebol brasileiro. Tenho um jogo muito competitivo e vou tentar acoplar ao futebol daqui.

Banner da loja do FogãoNET para faixa japonesa

Honda como referência

Gabriel Cortez é o décimo terceiro reforço do Botafogo para a temporada. Ele chegou ao clube pouco badalado, em razão dos dias agitados com a contratação de Honda e a demissão do ex-técnico Alberto Valentim.

O jogador de 24 anos já treina com o restante do elenco e falou que vem se adaptando, aos poucos, ao novo país e aos companheiros. Após as atividades, tem feito um reforço no condicionamento físico ao lado de Keisuke Honda. Cortez não tema a disputa de posição com o japonês no meio e quer tirar proveito da oportunidade de jogar ao lado do novo ídolo internacional do Glorioso.

– Vai ser uma grande experiência jogar com o Honda. Vou aprender muito com ele. É um jogador de alto nível. Independentemente da disputa de posição, o Honda é uma referência para mim – finalizou.

O equatoriano chega por empréstimo, com vínculo até o final do ano. O contrato prevê a opção de compra dos direitos econômicos do atleta ao término do prazo, com valor de US$ 1 milhão (cerca de R$ 4,26 milhões).

Fonte: Terra