Há certa inquietação nos bastidores de Botafogo, Flamengo e Vasco, que ainda não têm um calendário fechado para 2018.

Mais precisamente, sem saber ainda se disputarão a Libertadores do ano que vem, e em que fase!

As comissões técnica preveem dificuldades na preparação adequada dos times para toda a temporada.

Por isso, como os Estaduais pelo Brasil afora iniciam no dia 16 ou 17, não se afasta a possibilidade de alguns clubes iniciarem a competição com times mistos.

Formações que reuniriam titulares, reservas e jovens aspirantes a uma vaga entre os principais titulares.

E, DESTA VEZ, não será por enfrentamento político ao presidente da Federação, mas por necessidade.

Será mesmo em função do achatamento do calendário por conta da Copa do Mundo.

Está difícil para os profissionais encontrar uma estratégia competitiva sem abrir mão da força máxima nos primeiros jogos do Carioca.

E falo do Estadual do Rio, como poderia ser do de São Paulo, de Minas, do Gaúcho.

Todos os clubes que tiverem um representante na Libertadores terão este problema, em especial os que tiverem de jogar a fase pré.

A participação dos brasileiros está prevista para o dia 31 de janeiro, com jogo de volta no dia 7 de fevereiro.

Isso significa a necessidade de um cuidado maior na construção do lastro físico.

A maioria dos jogadores voltará de férias no dia 4 de janeiro e os 13 dias de pré-temporada até a estreia no Estadual são tidos como insuficientes.

Alguns profissionais ouvidos por mim não duvidam de que as lesões dos jogadores do Botafogo estejam relacionados à disputa da fase pré deste ano.

ALERTA

E QUEM poderá ter o caso mais gritante é o Flamengo, caso o time se classifique às finais da Sul-Americana.

Sim, porque neste caso estará em atividade até o dia 13 de dezembro, sendo obrigado a retardar o retorno das férias para o dia 14 de janeiro.

Ou seja: três dias antes da primeira rodada do Carioca.

Será impossível levar a campo o time principal, tendo que, obrigatoriamente, programar a formação de uma equipe mais do que reserva _ alternativa, mesmo.

ENFIM, não está sendo fácil para os profissionais encontrar um jeito de não comprometer a preparalção dos jogadores para o próximo ano.

Por isso, torço para que os cartolas num futuro próximo enxerguem que os Estaduais devem ser uma competição para aspirantes…

Fonte: Blog do Gilmar Ferreira - Extra Online